Clubes se armam após o fim do passe

O fim do passe do atleta, cuja regulamentação entrou em vigor na segunda-feira por meio da Lei Pelé, poderá provocar uma enxurrada de ações na Justiça do Trabalho. Os clubes garantem que o disposto no artigo 28, parágrafo 2º da lei, assegura os direitos adquiridos decorrentes dos contratos e vínculo de atletas assumidos na legislação anterior.Diante da "abertura", alguns clubes, como Corinthians e Grêmio, já estão prevendo batalha jurídica para evitar que jogadores, cujos contratos foram assinados até o ano passado, como Luizão e Ronaldinho Gaúcho, saiam sem pagar indenização, tendo como base o investimento feito com os atletas.Leia a íntegra no Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.