Mariana Bazo/Reuters
Mariana Bazo/Reuters

Clubes uruguaios aconselham Fifa a tirar de seu quadro ex-presidente da AUF

Wilmar Valdez renunciou ao cargo em julho deste ano após revelação de suborno em compra de equipamentos estruturais de estádios no país

Estadão Conteúdo

18 Outubro 2018 | 16h14

A assembleia de clubes que integram a Associação Uruguaia de Futebol (AUF) aconselhou, por maioria, a Fifa a remover Wilmar Valdez de seu quadro de conselheiros. O ex-presidente da entidade nacional ocupa cargo como representante de Conmebol na principal federação do futebol mundial.

"A Conmebol convocou uma assembleia para remover o Valdez. O estatuto da AUF diz que seu conselho executivo deve ser assessorado pela assembleia de clubes em assunto internacional. Então, convocamos a assembleia para que nos assessorem sobre o que fazer na assembleia da Conmebol", explicou Pedro Bordaberry, presidente da comissão definida pela Fifa para normalizar a situação na AUF.

Na votação realizada durante esta semana, 13 clubes uruguaios votaram pela remoção de Valdez, três por sua permanência e um se absteve. O dirigente assumiu o cargo na Fifa em 2016, em troca de não competir com o paraguaio Juan Ángel Napout pela presidência da Conmebol.

Valdez renunciou ao seu cargo de presidente da AUF no último mês de julho, após um escândalo de gravações secretas nas quais cita subornos para compra de câmeras de segurança e redes de iluminação para os estádios. A Justiça está estudando o caso, no qual estão envolvidos dirigentes, integrantes do governo e jornalistas esportivos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.