Coadjuvantes, Cavani e Welbeck se destacam em Uruguai e Inglaterra

Apesar das derrotas, jogadores tiveram boas atuações contra Costa Rica e Itália

Ciro Campos e Sérgio Torres, O Estado de S. Paulo

19 de junho de 2014 | 05h00

Pelo menos na primeira rodada, quem se destacou por Uruguai e Inglaterra não foram os jogadores mais badalados dos elencos. Alheios às expectativas pelos desempenhos de Suárez e Rooney, os atacantes Cavani e Welbeck despontaram nas estreias e aparecem como candidatos a ser tão decisivos quanto os parceiros mais famosos.

Luis Suárez retorna ao time hoje e volta a fazer dupla com o companheiro Cavani, com quem tem entrosamento pelo Uruguai desde 2006, quando os dois defendiam juntos as seleções de base. “Já jogamos muitas vezes juntos e ele me disse coisas importantes para o jogo com a Inglaterra. Para nós, o retorno de Suárez é muito importante”, afirmou.

Até agora, Cavani foi o único uruguaio a brilhar na Copa. O atacante se salvou da pífia atuação contra a Costa Rica ao marcar o gol da equipe e continua como esperança para ser o protagonista das ações ofensivas, já que Suárez não está em plenas condições físicas e Forlán, craque da Copa, deve deixar o time justamente para a entrada do jogador do Liverpool.

Na Inglaterra, enquanto o astro Wayne Rooney continua sem marcar gols em Copas, o companheiro dele de clube, Daniel Welbeck, tem sido o destaque. O jogador de 23 anos foi um dos melhores da equipe na derrota para a Itália, ao se deslocar pelo campo, fazer jogadas velozes e dar a assistência para o gol de Sturridge. A atuação foi surpreendente porque Welbeck por pouco não foi cortado devido a uma lesão muscular.

Recuperado, pode ser o trunfo inglês na busca pela vitória contra o Uruguai, principalmente pela agilidade e a capacidade de trocar de posição. “Podemos criar problemas para o nosso adversário pelo nosso ritmo e velocidade dos atacantes”, disse o meia e capitão Gerrard

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.