Cobrado por Mano, Romarinho festeja fama de carrasco

Atacante marca apenas seu segundo gol nesta temporada

Raphael Ramos, Agência Estado

16 de fevereiro de 2014 | 20h25

SÃO PAULO - Romarinho confirmou neste domingo a sua fama de carrasco diante do Palmeiras. O atacante chegou à marca de cinco gols em quatro jogos contra o arquirrival. Aos 15 minutos do segundo tempo, ele apareceu livre na pequena área e só teve o trabalho de completar para o gol o cruzamento de Fagner.

"Fico feliz. Espero que sempre contra eles a bola sobre porque eu vou fazer sempre. Contra o Palmeiras sempre marco, é diferente", ressaltou o atacante.

Após o gol, ele correu em direção à Gaviões Fiel, cujo integrantes invadiram o CT do clube no início do mês - Romarinho era um dos principais alvos dos vândalos -, mas não quis comentar a comemoração. "Tem coisas que não posso falar aqui", limitou-se a dizer.

Antes de abrir o placar, o atacante já havia tido duas ótimas oportunidades no início do segundo. Em ambas parou em Fernando Prass. "Faltou acreditar mais, um pouquinho de força. A perna estava pesada. Tivemos muitas oportunidades de gol", admitiu.

O técnico Mano Menezes, por sua vez, elogiou a atuação de Romarinho, mas pediu que o atacante não faça gols apenas contra o Palmeiras. "A preferência é fazer sempre."

Foi o segundo gol de Romarinho na temporada. Antes, ele havia marcado contra a Portuguesa, na primeira rodada do Campeonato Paulista.

Para Mano Menezes, o Corinthians merecia vencer. O treinador destacou o volume de jogo apresentado pela equipe, sobretudo no início do segundo tempo. "Para uma equipe que estreou dois jogadores no meio-campo (Bruno Henrique e Jadson), fizemos um grande clássico. Fomos amplamente superiores em chances claras de criação. Não vencemos porque o futebol não é um jogo de justiça, é bola no gol."

Na avaliação do treinador, o jogo deste domingo marcará uma nova fase da equipe na temporada. "Prometi para o torcedor que seríamos uma outra equipe no clássico e fomos. De agora em diante, será um outro campeonato para a gente e os resultados com certeza também serão outros", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.