Julio Muñoz/EFE
Julio Muñoz/EFE

Coincidências com 1998 animam França na busca pelo título na Rússia

Uma delas é o fato de Kylian Mbappé ter nascido no ano da única conquista francesa

Ciro Campos, enviado especial / Kazan, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2018 | 05h00

A campanha da França na Copa do Mundo avança incentivada por coincidências e superstições. A vitória por 4 a 3 sobre a Argentina, neste sábado, em Kazan, pelas oitavas de final, levou o país a ficar mais confiante em uma nova conquista e se apegar a curiosidades para justificar a expectativa. As atenções se voltam para 1998, ano do único título, garantido em casa na final vencida sobre o Brasil.

+ Deschamps elogia seleção francesa: 'Mostramos o que podemos fazer'

+ Melhor em campo contra a Argentina, Mbappé fala em 'ir mais longe na Copa'

Uma das coincidências envolve o craque do time, Kylian Mbappé. O autor de dois gols sobre a Argentina nasceu no ano do primeiro título mundial francês, cinco meses depois da conquista. "Foi um grande ano para ele ter nascido, com certeza. Apesar dele não ter visto aquela grande Copa", comentou o técnico Didier Deschamps, volante e capitão do elenco campeão mundial em 1998.

Naquela campanha a França também estava no grupo C e enfrentou a Dinamarca pela última rodada da fase de grupos. Nas oitavas de final, assim como em 2018 bateu a Argentina, superou na ocasião outro sul-americano, o Paraguai. A imprensa francesa também comparou o gol e atuação do lateral-direito Benjamin Pavard neste sábado às atuações do dono da posição há 20 anos, Lilian Thuram.

 

"As pessoas se lembram muito daquela Copa. Por coincidência foi o ano em que eu nasci também. Fomos campeões naquele ano. É uma lembrança importante para a França", afirmou Mbappé. Naquela Copa de 1998 a França tinha atacantes com a mesma idade de Mbappé, porém reservas do técnico Aimé Jacquet. Thierry Henry e David Trezeguet tinham 20 anos e participaram de algumas partidas daquele Mundial.

A França chegou à Rússia como uma das favoritas ao título e fez uma primeira fase irregular. Ao bater a Argentina nas oitavas, o elenco comentou ter conseguido mostrar mais potencial e conquistado confiança para os próximos jogos. "Tivemos uma boa atuação. Nosso time está organizado, tem boa organização defensiva e sabe definir os lances. Esperamos ir longe nessa Copa", disse o zagueiro Raphael Varane.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.