JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Coincidências de últimos Palmeiras x Grêmio se repetem no Brasileirão 2018

Jogo acontecerá no Pacaembu e Grêmio não terá goleiro titular mais uma vez

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2018 | 11h30

Palmeiras não poderá enfrentar o Grêmio no Allianz Parque e terá de mandar o jogo no Pacaembu. Goleiro titular gremista não atuará e a equipe gaúcha terá o reserva embaixo das traves. As duas notícias vêm se repetindo antes dos confrontos entre o alviverde paulista e o tricolor gaúcho em partidas do Campeonato Brasileiro desde 2014 e continuam em 2018.

Em 2018, o Palmeiras não poderá atuar em sua arena por conta de um festival de música. Em 2017, foi por conta de um show da cantora norte-americana Ariana Grande; em 2016, do italiano Eros Ramazotti e em 2015, do britânico Rod Stewart. Em 2014, o Allianz Parque ainda estava em estágio final da construção e não poderia ser utilizado. Dessa forma, o Pacaembu recebe a partida pelo quinto ano consecutivo.

O time gaúcho atuou apenas uma vez no Allianz Parque: na Copa do Brasil 2016, ocorreu um empate por 1 a 1, que classificou o Grêmio para a semifinal por ter vencido a partida em Porto Alegre por 2 a 1.

Da mesma forma, em todas essas partidas o Grêmio não contou com Marcelo Grohe embaixo das traves. Em 2014 e 2015, o titular foi Tiago; em 2016, Bruno Grassi assumiu a meta - bestes casos, por lesão do ídolo gremista. Em 2017, o tricolor atuou com o time inteiro reserva e o arqueiro foi Léo. Neste ano, Grohe sentiu lesão leve no músculo adutor da coxa direita na última partida, contra o Bahia, e deve dar lugar a Paulo Victor.

Em todas estas partidas, o Palmeiras venceu por 1 gol de diferença: 2 a 1 em 2014, 3 a 2 em 2015, 4 a 3 em 2016 e 1 a 0 em 2017.

O jogo será disputado no próximo domingo e é parte de uma rodada decisiva no Brasileirão. O Palmeiras lidera o campeonato com 56 pontos, já o Grêmio está na quinta posição com 51. Para o time gaúcho, é a chance de se reaproximar da ponta da tabela em busca de um título que não conquista há 22 anos; para os paulistas, a oportunidade é de abrir uma vantagem maior ainda para um concorrente direto, além de se distanciar mais de Internacional ou São Paulo, que são segundo e quarto colocados, respectivamente, se enfrentarão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.