COL prevê lucro dos Jogos do Rio por causa da Copa do Mundo

Executivo do Comitê Organizador Local garante que capacitação de profissionais por causa do Mundial vai beneficiar o Rio-2016

Almir Leite, Diego Salgado e Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 07h00

Um dos legados do Mundial vai ser a capacitação de profissionais especializados em grandes eventos esportivos. Esta é a avaliação do Comitê Organizador Local (COL) da Copa. "Temos agora centenas de pessoas com esse perfil preparadas para novos desafios'', afirmou o CEO do COL, Ricardo Trade.

Ele enfatizou que o Brasil realizou a "Copa das Copas" e o resultado poderia ser ainda mais expressivo se os prazos de entrega de estádios e obras complementares tivessem sido cumpridos. "Testar mais vezes, à exaustão mesmo, e com bastante antecedência é essencial. Se tudo tivesse sido entregue (nos prazos), nossas notas seriam mais altas", declarou. "Evitaríamos por exemplo aquela queda de parte de energia no Itaquerão (pouco antes do jogo de abertura, entre Brasil e Croácia."

O CEO atribuiu o atraso das obras no estádio do Corinthians ao acidente ocorrido em novembro de 2013, quando um guindaste caiu e provocou a morte de dois operários.

Embora os elogios pela organização do Mundial sejam rotineiros na sede do COL, desde 13 de julho, o comitê avaliou que houve problemas em algumas áreas específicas, como, por exemplo, nos serviços de alimentação oferecidos aos torcedores em alguns estádios. Mais uma vez, Trade culpou os atrasos pelo problema."Afetados pela demora tardia da entrega (das obras), alguns locais não puderam testar a conexão do gás, a distribuição de energia nas cozinhas."

Para dirigentes do COL, o sucesso do Mundial vai facilitar a organização dos Jogos de 2016, nop Rio. O Brasil vinha sofrendo críticas pesadas de federações esportivas internacionais pelo "atraso" na construção de arenas.

De um mês para cá, o tom das entidades baixou. "Nosso trabalho vai arrefecer os questionamentos da capacidade de o País entregar tudo a tempo'', disse o diretor de Comunicação do COL, Saint Clair Milesi. O COL permanece em atividade até dezembro, quando será dissolvido. Até lá, seus funcionários vão ser dispensados por etapas, já iniciadas.

Ao todo, a Copa do Mundo registrou quatro invasões de campo. Esses torcedores foram encaminhados à polícia. Somente na final, entre Alemanha e Argentina, houve 12 tentativas (malsucedidas) de invasão ao gramado do Maracanã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.