Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Colado no G-4, Santos festeja crescimento no Campeonato Brasileiro

Equipe vem de ótimos resultados desde a chegada de Dorival

O Estado de S. Paulo

10 de setembro de 2015 | 10h05

A vitória por 3 a 0 sobre o São Paulo deixou o Santos a um ponto do G-4 do Campeonato Brasileiro. Para Ricardo Oliveira, que chegou aos 50 gols com a camisa do clube, em suas duas passagens, as marcas individuais ficam em segundo plano. "É um número importante, só que é mais um gol que coopera para o crescimento da equipe e nos coloca numa realidade dentro da competição a um ponto do G-4", afirmou o artilheiro.

O time teve uma grande reação no Campeonato Brasileiro e vem de ótimos resultados desde que o técnico Dorival Júnior assumiu a equipe. O Santos, que estava perto da zona de rebaixamento do torneio, mostrou forças e já está próximo ao G-4, com 37 pontos, um a menos que o São Paulo, quarto colocado.

Para o volante Renato, um dos jogadores mais experientes da equipe, alguns resultados ruins na Vila Belmiro atrapalharam o time e, se o placar tivesse sido diferente, o Santos poderia estar em situação bem melhor. "Com os quatro pontos que deixamos aqui em casa contra Sport e Ponte Preta estaríamos lá em cima. Mas o campeonato é assim, é difícil, mas vamos ver se os times de cima tropeçam para a gente chegar", comentou.

Na próxima rodada, o Santos encara a Ponte Preta, fora de casa, para manter a arrancada. Mas o adversário de Campinas vem de derrota para o Vasco e precisa do resultado positivo para se afastar da zona de rebaixamento. "Temos de prestar atenção, porque as equipes que estão lá embaixo vão se fechar e lutar até o fim. Temos de ir cientes disso", avisou o zagueiro David Braz.

Ele teve uma boa atuação contra o São Paulo, com um gol, e espera ir melhor que na temporada anterior. "Ano passado terminei com seis gols, esse ano já tenho cinco. Vamos ver se supero a marca porque ainda tem muitos jogos na temporada", explicou o defensor, lembrando que não vê o Santos priorizando Copa do Brasil ou o Brasileirão. "A gente está bem nas duas competições e vamos lutar. A dificuldade será muito grande, mas vamos fazer de tudo para seguir em frente."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.