Divulgação / Tero Labs
Divulgação / Tero Labs

Coleção de NFTs tem seleção brasileira de jovens com potencial para disputar a Copa de 2030

Rough Diamonds conta com jogadores como o palmeirense Endrick; Bruno Pessoa, CEO da Tero Labs, responsável pelo projeto, quer 'aproximar o fã' dos futuros craques

Murillo César Alves, especial para o Estadão

24 de junho de 2022 | 15h00

O mundo dos esportes continua explorando novas áreas e mídias para expansão e comercialização de seus produtos. Dessa vez, com o crescimento do mercado de criptoativos e NFTs, a Tero Labs, que nasce de uma parceria com a LaLiga, da Espanha, traz uma nova coleção de Tokens não fungíveis com jovens atletas, que podem estar na seleção brasileira em breve.

Após selecionar, por meio de scouts profissionais, a empresa lança a coleção "Rough Diamonds" (Diamantes brutos, em tradução livre), com 11 atletas brasileiros com potencial para estarem presentes na seleção na Copa do Mundo de 2030. O trabalho, segundo a empresa, é o mesmo que técnicos e dirigentes dos grandes clubes do mundo fazem antes de buscar um novo nome no mercado.

Bruno Pessoa, CEO da marca e cofundador da Tero Labs, conversou com exclusividade com o Estadão. Segundo ele, o projeto nasce para trazer a paixão do torcedor para perto do esporte. "O lema dessa coleção é permitir ao fã participar efetivamente da carreira do jogador, algo que antes do surgimento do NFT não era possível." 

"Nós oferecemos a oportunidade aos colecionadores de conseguirem peças exclusivas das estrelas do futuro e ainda ajudar no desenvolvimento da carreira destes meninos", conta Bruno. Para ele, não se trata apenas de comprar o direito de imagem do atleta, mas sim se tornar "sócio" de sua carreira. "Nós ajudamos ele (atletas) a financiarem sua carreira, no qual 50% das receitas de venda do NFT vão para o jogador."

Endrick, Matheus França e Weslley Patati são alguns dos destaques desse primeiro lançamento, mas Bruno garante que a ideia é expandir o projeto ao longo dos próximos anos. Além do Brasil, Argentina e países africanos são alguns dos polos para os lançamentos seguintes. "Os fãs de futebol estão espalhados ao redor do mundo. A ideia é buscar novos mercados na América Latina, África e Ásia, além de outras modalidade, como o futebol feminino", conta o empresário.

Bruno também compara a possibilidade de, ao explorar outras modalidades, esportes e jovens atletas com as coleções, fazer crescer o interesse por meio do universo digital. "Em comparação, a série 'Drive To Survive', da Netflix, expandiu o mercado da Fórmula 1 para novos públicos. Por que não pode acontecer o mesmo agora?", afirma.

A coleção se assemelha a um "álbum de figurinhas" digital. Os interessados em adquirir os cards dos jogadores terão que comprar "drops", assim como as embalagens de figurinhas. Segundo Bruno, isso "democratiza o acesso". "Você não vai na banca de jornal e fala: 'eu quero a brilhante do Brasil, a brilhante da Argentina'. Com os 'Rough Diamonds' acontece a mesma coisa."

Antes de lançar oficialmente as cartas, a Tero Labs irá enviar aos interessados na ideia do projeto camisas digitais para a carteira dos colecionadores. "Jerseys" diamante, pretas, cinzas, são diversos modelos, que ficarão disponíveis no site da marca nos próximos dias. Já as "figurinhas", objeto mais desejado, ainda não têm seu preço estabelecido, mas será anunciado em breve, junto com seu lançamento.

OS ATLETAS

Para essa primeira leva, a marca focou em 11 jovens jogadores dos principais clubes brasileiros. Além disso, levou em consideração o tempo de contrato, seu valor de mercado e passagens pela categorias de base da seleção brasileira. Endrick, promissor jogador do Palmeiras, o mais jovem da lista, é um dos destaques. Mas não é o único.

Matheus França, que fez sua estreia na equipe profissional do Flamengo em 2021; Luís Guilherme Lira, do Palmeiras e que usa camisa 10 na seleção brasileira sub-17; Weslley Patati, um dos principais jogadores do Santos na Copa São Paulo deste ano, com quatro gols; e Matheus Gonçalves, presença garantida nas convocações das categorias de base do Brasil e que recentemente renovou seu contrato com o Flamengo até 2024, são alguns dos destaques dessa coleção.

Para 2023, a ideia de Bruno e da Tero Labs é lançar outra coleção, com mais 11 atletas. Para isso, seus "scouts" devem voltar a trabalhar, para garantir a melhor escalação possível.

Confira a lista completa dos jogadores:

  • Endrick Felipe, centroavante, 15 anos, Palmeiras
  • Matheus França, meio-campo, 18 anos, Flamengo
  • Luís Guilherme Lira, meio-campo, 16 anos, Palmeiras
  • Matheus Gonçalves, ponta direita, 16 anos, Flamengo
  • Weslley Patati, ponta esquerda, 19 anos, Santos
  • João Cruz, meio-campo, 16 anos, Athletico Paranaense
  • Luiz Gustavo, meio-campo, 16 anos, Corinthians
  • Felipe Lima, atacante, 16 anos, Flamengo
  • Bernardo Valim, meio-campo, 16 anos, Botafogo
  • Ythallo Ryckelm, zagueiro, 17 anos, São Paulo
  • Matheus Lima, meio-campo, 16 anos, Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.