Collina deixa a associação de àrbitros

Pierluigi Collina, que por diversas vezes foi eleito o melhor árbitro do mundo, anunciou nesta segunda-feira que deixa a Associação Italiana de Árbitros de Futebol (AIA). "Tomei esta decisão após 28 anos de serviço. No final das contas, perdemos todos", disse um emocionado Collina em entrevista coletiva concedida em Lucca (norte da Itália). Sua saída acontece depois que a Federação Italiana de Futebol o impediu de arbitrar nesta temporada na primeira divisão por considerar que isso era incompatível com um contrato publicitário que ele tinha com a Opel, no valor de cerca de um milhão de euros A empresa automobilística é também patrocinadora do Milan, razão pela qual a Federação advertiu Collina de que esse contrato não era compatível com seu trabalho na primeira divisão. O árbitro preferiu não abrir mão dessa negociação com a Opel. "Dormi menos na última noite do que na véspera da final da Copa do Mundo", disse Collina, sem esconder a amargura. O árbitro, que estava acompanhado de sua mulher, explicou que tinha informado o presidente da Associação de Árbitros, Tullio Lanese, sobre seu contrato com Opel e que este tinha se limitado a felicitá-lo. Acrescentou que, para campanhas publicitárias anteriores, não teve que requerer uma autorização por escrito. "Para mim não seria um problema arbitrar uma temporada inteira na segunda divisão. O problema é se aqui se acredita ou não nos juizes", destacou. "Se não acreditamos nele, temos que perguntar o porquê. Sem confiança no árbitro, é inútil seguir adiante", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.