Divulgação/Colo-Colo
Divulgação/Colo-Colo

Colo-Colo contrata Valdivia, ex-Palmeiras, para se salvar do rebaixamento

Em último lugar no campeonato, clube traz veterano de 37 anos e fecha contrato de somente três meses

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2020 | 13h12

O meia chileno Jorge Valdivia, ex-Palmeiras, fechou nesta terça-feira o retorno ao Colo-Colo. Revelado pelo time de Santiago, o jogador de 37 anos estava no Mazatlán, do México, e terá a terceira passagem pelo time alvinegro. O diferencial agora é que o experiente atleta chega com a missão de salvar o clube do rebaixamento. O Colo-Colo é o último colocado na tabela.

Valdivia atuou pela equipe entre 2003 e 2006, quando se transferiu para o Palmeiras. Depois, o meia atuou também entre 2017 e 2019. Após essa passagem, o jogador reforçou o Morelia, do México, e na sequência passou pelo Mazatlán, do mesmo país. O Colo-Colo anunciou a vinda do chileno com festa: "A magia está de volta ao Monumental".

"Eu não me sinto um salvador. Quando a equipe ganha, ganham todos. Volto porque o time necessitava se reforçar e eu entro por isso. Eu me sinto como alguém que pode somar no futebol e na parte anímica", disse Valdivia na sua apresentação, nesta terça. O contrato dele terá apenas três meses de duração, período que servirá apenas para garantir a participação dele na reta final da temporada do futebol chileno.

Valdivia disse que até gostaria de ter assinado por um período maior, mas disse que entende a situação delicada do clube. "Eu gosto de enfrentar desafios. Eu me sinto bem e contente. Na parte física eu vivi dois anos muito peculiares. Eu estava em casa tranquilo e descansando quando recebi a oportunidade de vir para o Colo-Colo. Eu me sinto muito feliz por estar de volta", completou.

O chileno teve duas passagens pelo Palmeiras. Uma entre 2006 e 2008 e outra de 2010 a 2015. Pela seleção do seu país, o meia disputou duas Copas do Mundo e conquistou a Copa América de 2015.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolColo-ColoValdivia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.