Colômbia dá prazo para Copa América

O governo da Colômbia deu um ultimato à federação de futebol local, para que determine até o meio-dia desta quinta-feira se realizará ou não a Copa América no país. A determinação do governo saiu em função da decisão da Condeferação Sul-Americana de Futebol de condicionar a realização da competição, marcada para 11 a 29 de julho, à libertação do vice-presidente da federação colombiana e coordenador do torneio Hernán Mejía Campuzano, seqüestrado provavelmente por guerrilheiros da Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia).O presidente Andrés Pastrana espera uma resposta positiva dos organizadores da competição. O governo diz que, ?por nenhum motivo, pode aceitar que a realização de um torneio da importância da Copa América dependa de uma atitude subversiva?. O comunicado lido pelo ministro condena o seqüestro de Campuzano e de todos os colombianos e considera ?irresponsável associar o seqüestro à Copa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.