Colômbia diz que respeita, mas que não teme o Brasil

Os jogadores colombianos estão confiantes para a partida contra o Brasil, na próxima sexta-feira, na Arena Castelão, em Fortaleza

AE, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 19h58

A seleção da Colômbia não tem medo do Brasil, mas, sim, respeito. Esse é o sentimento dos jogadores, segundo revelou o atacante Adrián Ramos nesta segunda-feira, para o confronto decisivo de sexta, em Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

"Não temos medo do Brasil, e sim respeito. Mas queremos honrar a tudo e a todos para continuar neste Mundial", disse Adrián Ramos, que não tem sido utilizado pelo técnico Jose Pekerman, mesmo tendo sido vice-artilheiro do último Campeonato Alemão, o que já lhe rendeu uma transferência do Hertha Berlin para o Borussia Dortmund.

A Colômbia vive um ótimo momento na Copa, alavancada principalmente pela fase excepcional do meia James Rodríguez, artilheiro da competição com cinco gols. Talvez por isso, os atletas do elenco não estejam dando muita atenção ao histórico amplamente negativo contra o Brasil e, ainda que com cautela, dizem ser possível sair com a vitória na sexta-feira.

"Este momento no Mundial motiva o povo colombiano, e vamos tentar levar alegria a toda o país", disse Adrián ramos. "É importante que a Colômbia siga com esse sonho e nos apoiando", completou.

Na história, a Colômbia só venceu o Brasil em duas das 25 oportunidades em que os países se enfrentaram. A última vez que isso aconteceu foi em 1991, na primeira fase da Copa América disputada no Chile. Apesar disso, é um atenuante para os colombianos as últimas quatro partidas terem terminado empatadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.