Colômbia ironiza temor de brasileiros

O improviso, o show de trapalhadas da Confederação Sul-Americana de Futebol e a confirmação da realização da Copa América em cima da hora não tiraram o ânimo do povo colombiano. Pelo contrário. As ruas já estão enfeitadas com bandeiras das seleções participantes, funcionários dos principais aeroportos e de restaurantes vestem roupas que fazem alusão ao torneio e a segurança, pelo menos nos primeiros dias, parece impecável - policiais, que mais parecem soldados do exército, são vistos por todos os lados.Os colombianos, porém, fizeram questão de manifestar a revolta com a falta de confiança das delegações que estão chegando. Muitos dirigentes ameaçaram não levar suas seleções.Irritada, a imprensa local ironizou a atitude da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). "Parece que o Brasil não acredita na garantia de segurança dada pelo povo colombiano. Os brasileiros chegam a Cali com sua própria Polícia Federal, que só vai se desgrudar dos jogadores dentro do campo", noticiou o El Tiempo, de Bogotá. "Ao menos é o que esperamos." Um megaesquema foi preparado para recepcionar as delegações. Os brasileiros chegaram na madrugada desta terça-feira. Cada hotel que hospedar uma seleção terá equipe reforçadas de segurança e até um esquadrão antibomba. No caso do Brasil, pelo menos 40 homens darão proteção aos atletas, à comissão técnica e aos dirigentes. "Nossa maior preocupação é com o tumulto que pode haver com a presença da seleção brasileira, que é adorada pelos colombianos", comentou Hector Daniel, integrante da DAS, Departamento Administrativo de Segurança. A CBF "fechou" um hotel no Centro de Cali para evitar a presença de jornalistas, empresários e torcedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.