Colômbia luta para manter torneio

O presidente colombiano Andrés Pastrana criticou duramente a decisão da Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF), que suspendeu a realização da Copa América na Colômbia e deve transferi-la para o Brasil. ?Tirar a Copa da Colômbia é o pior atentado que podem nos fazer. É uma bofetada na Colômbia?, afirmou Pastrana, que ainda luta para que a entidade volte atrás e mantenha o país como sede.A falta de segurança na Colômbia foi o motivo para a mudança de sede, principalmente, depois do seqüestro do vice-presidente da Federação Colombiana de Futebol, Hernán Mejía Campuzano, que foi solto nesta quinta-feira. O presidente da CSF, Nicolás Leoz, decidiu tirar a Copa América do país com base no pedido de nove das 10 federações filiadas à entidade (só a própria Colômbia não assinou o documento), que solicitavam a alteração.

Agencia Estado,

28 de junho de 2001 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.