Mauricio Dueñas/EFE
Mauricio Dueñas/EFE

Colômbia recebe Uruguai para se manter invicta; Chile e Peru buscam 1ª vitória

Confrontos são válidos pela terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2020 | 05h00

A seleção colombiana busca, nesta sexta-feira, confirmar o bom momento que está vivendo. O duelo, às 17h30 (de Brasília), no Estádio Metropolitano, em Barranquilla, válido pela terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo do Catar, será contra um Uruguai prejudicado por desfalques importantes.

A Colômbia tenta se manter invicta na competição, já que venceu na estreia a Venezuela por 3 a 0 e empatou o jogo seguinte por 2 a 2 com o Chile. Com isso, soma quatro pontos e briga pelos primeiros lugares.

Já os uruguaios aparecem com três pontos, fruto do triunfo por 2 a 1 sobre os chilenos na rodada inaugural. No outro compromisso, a equipe levou 4 a 2 do Equador fora de casa, em Quito.

Apesar de o atacante Falcao García não ter sido convocado por conta de lesão, o técnico Carlos Queiroz vai contar para esta partida com a base da equipe que atuou nos dois primeiros confrontos. O elenco é liderado por James Rodríguez, do Everton, e Juan Guillermo Cuadrado, da Juventus, além da dupla artilheira da Atalanta, formada por Luis Muriel e Duván Zapata.

As únicas mudanças previstas são o retorno do goleiro David Ospina, ausente no mês passado por conta dos casos de covid-19 no Napoli, e a presença de Orejuela, do Grêmio, ou Daniel Muñoz, do Atlético Nacional. Os dois brigam pela titularidade na lateral direita, setor que não terá Stefan Medina e Santiago Arias, lesionados.

O zagueiro Davinson Sánchez também não deve começar. Ele chegou a Barranquilla nesta quinta-feira após ter solicitado permissão para ficar mais alguns dias em Londres por razões familiares. Então, então a dupla de zaga deve ser composta por Yerry Mina e Jeison Murillo.

Para Queiroz, o jogo será especial porque terá a oportunidade de enfrentar Óscar Tabárez, técnico que admira. Os dois são os treinadores com mais classificações conquistadas para Copas do Mundo, com quatro edições cada.

"O plano do Uruguai será ter uma intensidade alta, sabemos da garra com que jogam. O jogo vai ser bastante físico. Esperamos ter sucesso com o nosso jogo", analisou o atacante Zapata.

A seleção uruguaia terá de superar duas adversidades para vencer: os desfalques e o forte calor que fará durante o duelo em Barranquilla, marcado para 15h30, no horário local.

Para Tabárez, o clima está "a favor do rival porque ele trabalha com isso, tenta forçar a partida de acordo com as dificuldades que podem ter times que não estão tão acostumados a atuar nessa temperatura".

O técnico uruguaio não poderá contar com Federico Valverde, do Real Madrid, Maximiliano Gómez, do Valencia, e Sebastián Coates, do Sporting, todos lesionados, além de Arrascaeta, que estava machucado, mas voltou a atuar pelo Flamengo na quarta-feira.

A boa notícia para o estrategista veterano é o retorno de dois de seus jogadores mais experientes: o artilheiro Edinson Cavani, contratado recentemente pelo Manchester United, e o zagueiro José María Giménez, fora anteriormente devido a uma lesão muscular. Outro jogador que pode aparecer entre os titulares é Torreira, meia do Atlético de Madrid.

EM BUSCA DA PRIMEIRA VITÓRIA 

Em outro duelo desta sexta, o Chile recebe o Peru com o objetivo de triunfar pela primeira vez na competição. Os chilenos somam apenas um ponto, uma vez que empataram com a Colômbia e, antes, foram derrotados pelo Uruguai.

Os peruanos também têm um ponto, fruto da igualdade com o Paraguai por 2 a 2, na rodada de abertura. Depois, o time do técnico Ricardo Gareca foi superado por 4 a 2 pela seleção brasileira e, assim, também quer conquistar o primeiro resultado positivo no torneio.

O Clássico do Pacífico, disputado em Santiago, às 20 horas (horário de Brasília), sem público, opõe duas seleções cujos vários jogadores tiveram dificuldades para se apresentar em razão da pandemia de covid-19. Também há atletas importantes lesionados, casos do zagueiro Zambrano e dos atacantes Jefferson Farfán e Paolo Guerrero, pelo Peru, e de Gary Medel e o meio-campista Charles Aránguiz, pelo Chile.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.