Colombiano diz que é corintiano fiel

Quem disse que o Corinthians é um clube sem tradição internacional e desconhecido em outros países? Até em Cali há corintiano, e não é um brasileiro que vive na cidade, mas um colombiano. Trata-se de Dagnery Dias, taxista e vendedor ambulante. Nos últimos dias, Dagnery desfilou com a camisa do Alvinegro de São Paulo perto do Estádio Pascual Guerrero, onde jogam, hoje, Brasil e México, e chamou a atenção. "Sou corintiano e vou torcer para que o Brasil chegue à final da Copa América", afirmou. O torcedor nunca foi ao Pacaembu ou ao Morumbi para ver um jogo do Corinthians. Tampouco sabe a escalação de seu "time de coração". Mas a paixão por uma brasileira o fez tornar um fiel corintiano. Em 1998, conheceu Toninha Rodrigues, uma mineira. "É uma negra muito bonita", garantiu. Os dois iniciaram um relacionamento que durou apenas três meses. Nesse tempo, viveram em Ciudad del Este, no Paraguai. Num passeio a Foz do Iguaçu, Toninha lhe presenteou com uma camisa do Corinthians. E, aos poucos, ele passou a admirar a equipe de Parque São Jorge. "Toninha era fanática e me contava tudo sobre o Corinthians." Lamentavelmente, Toninha se foi. Mudou para o Canadá e o relacionamento acabou. Dagnery voltou para Cali, onde hoje ganha a vida vendendo camisas de clubes e seleções e também como taxista. Está aproveitando a realização da Copa América para ganhar um bom dinheiro. Acredita que irá faturar pelo menos US$ 500,00 nesses 20 dias de competição. Longe de Toninha, restou a Dagnery usar a camisa do Corinthians como forma de se lembrar da mulher amada. E sonha, quem sabe, encontrar a mineirinha num dos jogos da seleção brasileira, em Cali. "De repente ela aparece para ver a Copa América..."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.