Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Israel Oliveira/ Guarani FC
Israel Oliveira/ Guarani FC

Com 17 casos de covid-19, Guarani pede adiamento da partida contra o Cuiabá

Clube campineiro sofre com surto de coronavírus em seu elenco

Redação, Estadão Conteúdo

14 de janeiro de 2021 | 14h50

O Guarani solicitou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) o adiamento do jogo contra o Cuiabá, marcado para essa quinta-feira, às 21h30 (de Brasília), na Arena Pantanal, em Cuiabá, pela 35.ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, por conta de um surto de covid-19 no elenco.

O goleiro Rafael Pin, os laterais Matheus Ludke e Bidu, os zagueiros Bruno Bianconi e Titi, o volante Deivid, os meias Giovanny e Caio e os atacantes Renanzinho e Matheus Souza são os novos contaminados.

Eles se juntam aos goleiros Gabriel Mesquita e Jefferson Paulino, os zagueiros Bruno Silva, Wálber e Victor Ramon, o meia Lucas Crispim e o atacante Waguininho, que haviam testado positivo para a covid-19 na última sexta-feira e seguem cumprindo isolamento.

Além deles, o técnico Felipe Conceição não pode contar com o atacante Júnior Todinho, em tratamento no departamento médico, e o meia Arthur Rezende, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

Com isso, o treinador tem apenas 12 jogadores à disposição na capital mato-grossense: o goleiro Lucas Cardoso, os laterais Cristóvam, Eliel e Erick Daltro, os zagueiros Romércio e Didi, os volantes Marcelo e Rickson, o meia Murilo Rangel e os atacantes Pablo, Rafael Costa e Bruno Sávio.

Se a CBF não aceitar o pedido feito pelo Guarani, o volante Lucas Abreu, que está em Campinas (SP), deve embarcar para a capital mato-grossense.

O jogo desta quinta-feira é de extrema importância na briga pelo acesso. O Cuiabá está na terceira colocação com 55 pontos, enquanto que o Guarani tem 48 e é o sétimo colocado. Qualquer resultado que não seja a vitória deixa o time campineiro ainda mais distante do G4. Hoje a diferença é de quatro pontos para o CSA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.