Com 2 meses de casa, Balotelli já recebe 'ultimato' no Liverpool

Com 2 meses de casa, Balotelli já recebe 'ultimato' no Liverpool

Italiano volta a protagonizar confusões e tem postura apática nos jogos. Na temporada, são dez partidas e apenas um gol

O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 11h05

A vida do atacante Mario Balotelli no Liverpool não vem sendo nada fácil. Em pouco mais de 2 meses vestindo a camisa dos Reds, o italiano já acumula confusões, mas não encontra o caminho dos gols e das boas atuações. Nesta quinta-feira, em entrevista coletiva, o técnico Brendan Rodgers deu uma espécie de 'ultimato' no atleta, dando a entender que, caso não melhore seu rendimento, pode ter sua passagem pelo Liverpool encerrada já na próxima janela.

"Nós trouxemos o jogador para lhe dar uma chance e continuaremos fazendo isso. Ele está trabalhando duro para se integrar ao time, mas só o tempo vai dizer. Chegando em  janeiro, veremos do que o time necessita", afirmou o comandante.

Balotelli chegou ao Liverpool para substituir Luis Suárez como grande estrela do time, contratado por 20 milhões de euros (cerca de R$ 60 milhões). Porém, os números do atacante em campo não justificam o valor pago. Em dez partidas nesta temporada, são 27 finalizações e apenas um gol marcado, além de não ter dado nenhuma assistência. A torcida ainda acusa o italiano de se mostrar apático e indiferente em campo.

No jogo contra o Real Madrid, nesta quarta-feira, por exemplo, Balotelli deixou Rodgers furioso após trocar camisas com o merengue Pepe ainda no intervalo da partida, quando o Liverpool já perdia por 3 a 0. "Não é algo que eu goste de ver. Se quiser trocar a camisa, que faça no fim do jogo", disse o técnico. No caso, o atacante sequer voltou para o segundo tempo, apesar de o treinador negar tê-lo substituído por conta da troca de camisas.

Naquela mesma noite, a polícia foi chamada para investigar uma suposta ameaça que o jogador teria feito a uma mulher que tirava fotos de sua Ferrari. Ela aproveitou a ida de Balotelli à casa da mãe para fotografar o carro, mas o jogador não aceitou e se dirigiu a ela "ameaçadoramente perto", como consta a denúncia realizada às 3h da madrugada.

Um dos maiores ídolos da história do Liverpool, Jamie Carragher, já afirmou que não pensa que o italiano vestirá a camisa dos Reds por muito tempo. "Na verdade, para ser honesto, ficaria surpreso de vê-lo aqui na próxima temporada. Há uma razão para esses jogadores mudarem tanto de clube", afirmou o ex-capitão.

O clube, inclusive, já estaria procurando outro centroavante para buscar em janeiro. "E não é algo que tenha a ver com o que ele fez até agora com a camisa do Liverpool. É sobre o que ele fez no Manchester City e no Milan", analisou Carragher.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.