SERGIO MORAES / POOL / AFP
SERGIO MORAES / POOL / AFP

Com 2 pênaltis no fim, Fluminense empata com Barcelona de Guayaquil no Maracanã pela Libertadores

Tricolor carioca sai na frente, leva virada, mas evita derrota nos acréscimos. Time brasileiro precisa vencer no Equador para se classificar à semifinal

Leonardo Pinto, especial para AE, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2021 | 00h41

Tudo igual, mas com um peso extra. Foi assim que a partida desta quinta-feira, contra o Barcelona de Guayaquil, terminou para o Fluminense. O jogo, o primeiro de dois confrontos pelas quartas de finais da Copa Libertadores, acabou em 2 a 2 no Maracanã, com fortes emoções nos minutos derradeiros. Um empate emocionante, mas ainda com sabor de derrota, considerando que a regra do gol qualificado coloca o time equatoriano na frente, em caso de um empate no jogo de volta.

Para o Fluminense, agora, só resta vencer, se quiser seguir para as semifinais, quando provavelmente enfrentará o Flamengo. O maior rival do time tricolor carioca bateu o Olimpia no Paraguai por 4 a 1, no jogo de ida, e praticamente garantiu lugar na próxima fase da Libertadores.

A partida começou com Luiz Henrique avançando logo de cara, driblando Molina e sofrendo a primeira falta do jogo, no primeiro minuto. A cobrança foi de Cazares, com corte imediato do Barcelona e sobra para Yago Felipe, que foi travado no momento de chutar. Poucos minutos depois, veio o primeiro cartão amarelo do jogo, quando Molina fez entrada forte em Gabriel Teixeira.

As duas equipes trocavam passes e tentavam achar espaços para tentativas, em uma partida equilibrada. Apesar de mais ofensivo, até a primeira metade desta etapa no jogo, o Fluminense não conseguia chegar ao gol e finalizar. Aos 20 minutos, porém, uma boa troca de passes entre Cazares, Fred e Gabriel Teixeira deu esperança para a torcida carioca, mesmo com o corte rápido que a defesa do Barcelona ofereceu quando a bola chegou na área. O gol não parecia distante.

Não demorou muito para chegar quando Cazares cobrou bem falta na área, deixando o goleiro Burrai sem condições de defesa após se chocar com Rivero. Gabriel Teixeira mandou adiante e balançou as redes do time equatoriano, abrindo a vantagem.

O Barcelona tentou igualar aos 33 minutos, com cobrança de falta de Díaz. A bola chegou a Piñatares, que mandou para Mastriani chutar e balançar as redes de Marcos Felipe. A alegria de Guayaquil durou pouco pois logo foi marcado o impedimento que anulou o gol.

A segunda etapa iniciou com a equipe carioca buscando criar mais chances. Logo no segundo minuto, Yago Felipe fez bom cruzamento para Gabriel Teixeira, que não conseguiu cabecear e sobrou para Egídio, que chutou mal e mandou diretamente por cima do gol. Aos 6 minutos, o Fluminense tentou o contra-ataque com Cazares, que não perdeu tempo em mandar para Gabriel Teixeira na área. O atacante tentou o passe para Fred, que alcançou mas perdeu grande chance de aumentar a vantagem e viajar para o Equador com maior tranquilidade.

Aos 23 minutos, Adonis Preciado, que havia entrado na partida apenas 15 minutos antes em substituição a Perlaza, subiu mais que todos e recebeu com a cabeça o cruzamento de Martínez pelo lado direito. Marcos Felipe tentou evitar e chegou a espalmar a bola, mas o gol já estava certo. Tudo igual no Maracanã, mas não na disputa entre as equipes, considerando o valor do gol fora de casa.

Nos últimos 15 minutos do jogo, o Fluminense teve a vantagem de jogar com um homem a mais. Isso porque, após dura entrada em Samuel Xavier, Emmanuel Martínez recebeu seu segundo cartão amarelo na partida e foi expulso. Tentando aproveitar a vantagem, Nenê buscou chutar para dentro da área mas acertou em cheio León e recebeu cartão amarelo por falta de ataque. Com o fim da partida se aproximando, Roger buscava mexer no elenco para buscar a vantagem perdida.

O time, porém, seguia cometendo muitos erros. Aos 39 minutos, Nino derrubou Garcés, recebendo cartão amarelo pela falta e garantindo pênalti para os equatorianos. A cobrança de Cortez colocou o Barcelona na frente, mesmo com a tentativa de defesa de Marcos Felipe.

Mas, como diz o velho ditado no futebol "só acaba quando termina", pois aos 46 minutos, Abel Hernández foi derrubado por Castilho e garantiu o pênalti para o Fluminense, sob uma chuva de reclamações dos adversários. Fred marcou e empatou para o Fluminense.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 2 x 2 BARCELONA DE GUAYAQUIL

FLUMINENSE - Marcos Felipe; Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Egídio; Martinelli (André), Yago (Abel Hernández) e Cazares (Nenê); Luiz Henrique (Lucca), Gabriel Teixeira (Kayky) e Fred. Técnico: Roger Machado

BARCELONA DE GUAYAQUIL - Burrai; Castillo, León, Riveros e Pineida; Piñatares, Molina (Carcelén), Martínez, Damían Díaz (Cortes, depois Leonel Quiñonez) e Perlaza (Adonis Preciado); Mastriani (Garcés). Técnico: Fabián Bustos.

GOLS - Gabriel Teixeira, aos 26 minutos do primeiro tempo, Adonis Preciado, aos 23 minutos, Cortez, aos 40 minutos, e Fred aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Nenê e Nino (Fluminense) e Molina, Garcés (Barcelona de Guayaquil).

CARTÕES VERMELHOS - Emmanuel Martinez (Barcelona de Guayaquil).

ÁRBITRO - Alexis Herrera (VEN).

RENDA E PÚBLICO - Jogo com portões fechados.

LOCAL - Maracanã (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.