Hassan Ammar/AP
Hassan Ammar/AP

Com 3 gols de Bale, Real Madrid volta a bater Kashima e buscará o tri do Mundial

Atacante galês comanda vitória por 3 a 1 que classifica time espanhol para a decisão contra o Al Ain

Rafael Franco, O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2018 | 16h48

No reencontro entre os dois finalistas do Mundial de Clubes de 2016, o Real Madrid voltou a levar a melhor sobre o Kashima Antlers. Desta vez sem o sofrimento da vitória por 4 a 2 que lhe garantiu o título em confronto definido apenas na prorrogação, o time espanhol contou com uma atuação de gala de Gareth Bale para bater a equipe japonesa por 3 a 1, nesta quarta-feira, no Zayed Sports City Stadium, em Abu Dabi, e avançar pelo terceiro ano consecutivo à decisão da competição organizada pela Fifa.

Na final do Mundial, marcada para começar às 14h30 (de Brasília) deste sábado nos Emirados Árabes Unidos, o Real terá pela frente o surpreendente Al Ain, representante do país-sede, que na última terça-feira eliminou o River Plate nos pênaltis, após empate por 2 a 2 no tempo normal e na prorrogação, na outra semifinal.

Vencedor das últimas duas edições do Mundial, no qual passou pelo Grêmio na decisão do ano passado, o Real buscará assim um tricampeonato consecutivo no final de semana, sendo que também ficou com a taça da competição chancelada pela Fifa em 2014, quando venceu o San Lorenzo, da Argentina, na luta pelo título.

Já o Kashima jogará a decisão do terceiro lugar contra o River, também neste sábado, às 11h30 (de Brasília), com o objetivo de repetir o feito de outros três times japoneses que terminaram o Mundial no último lugar do pódio: o Urawa Red Diamonds, em 2007, o Gamba Osaka, em 2008, e o Sanfrecce Hiroshima, em 2015. Vale lembrar, porém, que o vice-campeonato obtido em 2016 pelo Kashima é o melhor resultado do Japão na história do torneio.

O JOGO

Determinado a aprontar a segunda surpresa das semifinais do Mundial depois de o Al Ain eliminar o River, o Kashima tratou de ir para cima do Real desde o início. E, em apenas dois minutos, o atacante brasileiro Serginho obrigou Courtois a fazer difícil defesa após chute cruzado e Shoji, com liberdade na pequena área, desperdiçou grande chance de marcar ao desviar de cabeça para fora um escanteio batido pela direita.

Aos olhos de Zico, ídolo histórico do clube e hoje diretor técnico do Kashima, o atacante Serginho continuava sendo o mais perigoso do ataque do time japonês e voltaria a assustar Courtois após ser lançado e finalizar por cima do gol.

O Real, que apostava principalmente nas investidas do veloz Bale pelo lado esquerdo do ataque, sofria para criar boas chances ofensivas. Benzema, em chute defendido em dois tempos por Kwoun, foi o primeiro a testar o goleiro japonês, aos 10 minutos.

Dezenove minutos mais tarde, em uma rápida troca de passes entre Lucas Vázquez e Modric, o croata tocou de calcanhar para Kroos bater de primeira de fora da área. Kwoun, porém, defendeu com tranquilidade. Pouco depois, aos 32, Bale cruzou com precisão para Benzema na entrada da área, mas o francês cabeceou para fora.

O Real tinha mais volume de jogo, mas atuava de forma previsível e travava na forte marcação do time japonês, que controlava bem o ímpeto dos favoritos. Mas o que se desenhava como um 0 a 0, pelo menos até o intervalo, mudou de figura aos 43 minutos, graças a dois dos mais talentosos craques do Real.

Jogador mais efetivo do ataque merengue, Bale recebeu de Modric pelo lado esquerdo e tocou para Marcelo. O brasileiro deu lindo passe de primeira de volta para o galês, que ficou na cara do gol e chutou cruzado para a bola bater na trave esquerda de Kwoun e entrar.

Na etapa final, o Real tomou conta do jogo e Bale seguiu infernizando a defesa japonesa pelo lado esquerdo. No primeiro bom ataque do time espanhol na etapa final, ele invadiu a área pela esquerda e cruzou para Benzema, que finalizou cruzado e só não marcou porque Yamamoto salvou na linha da meta depois de a bola já ter passado pelo goleiro Kwoun.

E a grande diferença técnica entre as duas equipes voltaria a falar mais alto logo em seguida. Em uma lambança coletiva do time japonês, Yamamoto recuou uma bola errado e Bale partiu em velocidade para ficar cara a cara com Kwoun. Jung tentou fazer o corte, mas tocou fraco para o lado e viu o galês aproveitar o vacilo e apenas finalizar para o gol vazio, aos 8 minutos, com o goleiro japonês batido no lance.

A partir daí, o jogo virou um passeio do Real, que marcaria o terceiro gol logo em seguida, aos 10. Depois de cruzamento da direita, Modric furou ao tentar finalizar de primeira, mas a bola sobrou para Marcelo. E o brasileiro, de novo, deu assistência para Bale receber pela esquerda e chutar forte e cruzado para fazer 3 a 0.

Com o show do galês e a vitória praticamente assegurada a partir dali, Santiago Solari resolveu poupar o astro e promover a entrada de Asensio, aos 14 minutos. Já aos 28, porém, o mesmo Asensio, que vinha se recuperando de lesão, precisou sair e deu lugar ao brasileiro Casemiro, outro que retornou após um período de afastamento por contusão.

Lucas Vásquez, que desperdiçou uma ótima chance de ampliar para 4 a 0 após Kroos deixá-lo na cara do gol, também saiu para a entrada de Isco. E, com três substituições, o Real transformou o jogo em um grande "treino de luxo".

Entregue, o Kashima aproveitou o relaxamento do Real para descontar o placar aos 32 minutos, com o atacante Shoma Doi balançando as redes em um chute cruzado. O gol só foi validado pela arbitragem após o juiz brasileiro Wilton Sampaio acionar a arbitragem de vídeo (VAR) para confirmar se Endo, que escorou a bola para Doi marcar, estava em posição de impedimento. O replay mostrou que ele tinha condição legal.

O gol obrigou o Real a voltar a se empenhar para buscar o quarto e matar de vez a partida. Benzema teve ótima chance de marcar aos 40 minutos após passe de Isco, mas voltou a desperdiçar em chute cruzado. Pelo lado do Kashima, o atacante brasileiro Leandro, ex-Grêmio, Palmeiras e Santos, ainda entrou no lugar do volante Endo, mas já era tarde demais para buscar qualquer reação. O baile já havia começado faz tempo.

FICHA TÉCNICA

KASHIMA ANTLERS 1 X 3 REAL MADRID

KASHIMA ANTLERS - Sun-Tae Kwoun; Nishi (Anzai), Seung-Hyeon Jung, Gen Shoji e Shuto Yamamoto; Yasushi Endo (Leandro), Ryota Nagaki (Uchida), Leo Silva e Abe; Serginho e Shoma Doi. Técnico: Go Oiwa.

REAL MADRID - Courtois; Carvajal, Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Llorente, Kroos, Modric e Lucas Vázquez (Isco); Gareth Bale (Asensio, depois Casemiro) e Benzema. Técnico: Santiago Solari.

GOLS - Gareth Bale, aos 43 minutos do primeiro tempo, e aos 8 e aos 10 do segundo; Shoma Doi, aos 32 da etapa final.

ÁRBITRO - Wilton Sampaio (BRA).

CARTÕES AMARELOS - Carvajal (Real Madrid); Yamamoto (Kashima Antlers).

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Zayed Sports City Stadium, em Abu Dabi (Emirados Árabes Unidos).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.