Vasily Maximov / AFP
Vasily Maximov / AFP

Com 700 mil turistas na Copa, Rússia recebe número recorde de estrangeiros

Membros da Fifa e do Comitê Organizador Local consideram que organização do torneio tem sido ótima

Glauco de Pierri e Jamil Chade, enviados especiais / Moscou, O Estado de S.Paulo

29 Junho 2018 | 08h46

Fechada por décadas e sob um clima de tensão com o Ocidente nos últimos meses, a Rússia recebeu um número recorde de estrangeiros por conta da Copa do Mundo. Dados divulgados nesta sexta-feira revelam que 700 mil turistas desembarcaram no país para acompanhar o torneio.

+ Ceo da Copa minimiza casos de assédios de brasileiros na Rússia

+ Copa já teve 2,7 mil teste de doping e nenhum caso positivo, diz a Fifa

+ Ousado e caçado: Neymar se destaca nas estatísticas da fase de grupos da Copa

"Nunca tivemos tantos estrangeiros como agora", disse Alexey Sorokin, CEO da Copa da Rússia, em entrevista coletiva. No total, 1,6 milhão de identificações de torcedores foram elaboradas.

Sorokin também aponta que seu país continua aberto a receber políticos estrangeiros, muitos dos quais anunciaram antes da Copa do Mundo que não fariam a viagem em protesto por conta de decisões do governo de Vladimir Putin sobre o cenário internacional. "Mostramos ao mundo que todos torcedores são bem-vindos", disse.

"Se eles (políticos) vierem, serão bem recebidos, como todos os torcedores. Isso podemos garantir", afirmou. "Dissemos, antes da Copa, como estávamos confusos sobre decisão de políticos de não vir. Mas sempre são bem-vindos", insistiu.

 

Em sua primeira coletiva de imprensa desde o início da Copa, a Fifa e os organizadores locais apontaram para os resultados positivos dos primeiros números. Segundo eles, 2,2 milhões de ingressos foram vendidos, 98% dos estádios têm sua capacidade esgotada e a audiência mundial de cada jogo tem variado entre 180 milhões e 200 milhões de pessoas.

"Estamos satisfeitos", disse Sorokin. "A infraestrutura está funcionando e não houve problemas com gramados, com bases de treinamento...", garantiu, destacando ainda para a presença de 5 milhões de pessoas nas Fan Fests.

A confiança dos russos depois de uma primeira fase sem incidentes graves levou Sorokin até mesmo a dizer que seu país também teria condições de sediar uma Copa com 48 seleções e 80 jogos, algo que vai ocorrer apenas em 2026, na edição que terá pela primeira vez sede tripla, com Estados Unidos, Canadá e México.

Depois de 46 jogos, a Fifa também comemorou. "Estamos felizes sobre como a Copa está ocorrendo", afirmou Colin Smith, diretor de Competições da entidade. "Os comentários que estamos recebendo são positivos das seleções e dos torcedores. Além disso, as cidades russas abraçaram os torcedores", apontou, lembrando que 16 mil jornalistas foram credenciados. "Esperamos terminar tão bem como começamos", completou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.