Lucas Uebel/Divulgação
Lucas Uebel/Divulgação

Com a camisa da Chapecoense, Renato Gaúcho se emociona em coletiva

'Estou buscando forças porque temos uma final', disse o treinador, lembrando o confronto com o Atlético-MG

Estadão Conteúdo

30 de novembro de 2016 | 18h49

Renato Gaúcho apareceu com a camisa da Chapecoense para conceder entrevista coletiva no fim da tarde desta quarta-feira. Abalado, o treinador falou sobre a relação dele com diversas das vítimas do acidente aéreo que matou 71 pessoas na terça-feira e disse que ainda está abalado.

"Hoje ainda estou nas cordas, é normal. Mas temos que levantar a cabeça e seguir trabalhando. Estou buscando forças porque temos uma final. Tenho que levantar meu grupo de novo e a cada dia que passa tudo irá melhorar para estarmos 100%", disse o treinador.

Para esta quarta-feira estava marcada a grande final da Copa do Brasil, em Porto Alegre. Depois de vencer por 3 a 1 o Atlético-MG no Mineirão, o Grêmio jogaria para confirmar o título. O acidente que vitimou 19 jogadores da Chapecoense, porém, adiou a partida para a semana que vem.

Entre os mortos, diversas pessoas com quem Renato trabalhou. "Joguei com Mário Sérgio e Caio Júnior, trabalhei com Ananias no Bahia, Cleber Santana no Atlético-PR. Além do Dener, do (Mateus) Biteco, do Serginho fisioterapeuta e do (Anderson) Paixão, o preparador físico. Foi muito triste", comentou, com os olhos marejados.

Renato garantiu que vai se recuperar para ajudar a levar o Grêmio ao título da Copa do Brasil. "Sou o espelho do meu grupo e quando olham para o comandante querem ver ele de cabeça erguida. Hoje continuo triste, mas a partir de amanhã vou levantar de outra forma, vou erguer meu grupo porque temos um objetivo muito forte", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.