Felipe Oliveira/Bahia
Felipe Oliveira/Bahia

Com a missão de encerrar má fase, Bahia encara Cruzeiro no Mineirão

Com 41 pontos, time baiano se distanciou um pouco da briga pelas primeiras colocações, e agora está a cinco pontos do Internacional, último time dentro do G-6

Redação, Estadão Conteúdo

03 de novembro de 2019 | 13h48

O Bahia chegou a viver momentos de euforia no Campeonato Brasileiro ao entrar com tudo na briga por uma vaga na Copa Libertadores, mas desandou. Após derrotas para Ceará (2 a 1), Internacional (3 a 2) e Santos (1 a 0), a equipe terá de driblar a própria insegurança, conforme o afirmado pelo treinador Roger Machado, para se reabilitar neste domingo, em duelo contra o Cruzeiro, marcado para as 19 horas, no Mineirão, pela 30.ª rodada.

"Se nós entendermos que o que construímos até esse momento nos trouxe até aqui, por mérito, nós vamos voltar a produzir bem. Os jogadores, muitas vezes, inseguros no campo, e eu não consigo entender por que esta insegurança, estamos brigando lá na frente, assimilando e assumindo uma pressão que eu não consigo entender, por que não temos tranquilidade", reforçou Roger.

Com 41 pontos, o Bahia se distanciou um pouco da briga pelas primeiras colocações, e agora está a cinco pontos do Internacional, último time dentro do G-6, com 46. A última vez em que a equipe baiana esteve entre as seis primeiras colocadas foi no fim da 22.ª rodada, quando ocupou a sexta colocação. Desde então, venceu apenas um jogo, contra o Grêmio (1 a 0), na 26.ª rodada, em meio a cinco derrotas e um empate.

Roger terá problemas para escalar o meio de campo. Isso porque o volante Gregore levou o terceiro cartão amarelo durante a derrota para o Santos e cumprirá suspensão, assim como Ronaldo, que entrou no decorrer da partida e seria o substituo natural. Com isso, Flávio será deslocado para fazer a função de primeiro volante, enquanto Guerra deve ser o escolhido para completar o meio de campo.

Como Elton está lesionado, o único volante disponível no banco de reservas será o jovem Edson, de 21 anos, relacionado pela terceira vez para um jogo do Brasileirão. Ele vinha atuando na equipe sub-23 e não chegou a entrar em campo pelo time profissional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.