Com a presença de ídolos, Roma apresenta projeto de novo estádio

Novo local, para 52 mil pessoas, deve ser inaugurado na temporada 2016/2017

O Estado de S. Paulo

26 de março de 2014 | 10h53

ROMA - Na segunda colocação do Campeonato Italiano, a Roma está perto de realizar um sonho. Nesta quarta-feira, foi apresentado o projeto do novo estádio do clube, que deve receber jogos da equipe da capital a partir da temporada 2016/2017. Chamado inicialmente de "Stadio Della Roma", o local vai ter capacidade para receber, no mínimo, 52 mil pessoas, ao custo de € 300 milhões (R$ 955 milhões).

O local escolhido pelos organizadores fica entre o centro da cidade de Roma e o Aeroporto de Fiumicino. Os detalhes do projeto foram revelados pelo presidente da Roma, James Pallotta, o CEO do clube, Italo Zanzi, e também pelo prefeito do município, Ignazio Marino. Aos jornalistas, o arquiteto responsável pelo projeto, Dan Meis, explicou a ideia inicial. "Vamos criar uma espécie de 'Novo Coliseu', mas tentando dar à planta uma concepção moderna."

Feliz com a nova casa, o presidente da Roma, James Pallotta, comentou sobre suas pretensões com a arena. "O novo estádio terá um profundo impacto sobre a equipe e os fãs. Esse projeto é o resultado de um processo que durou 24 meses, durante o qual ouvimos a opinião dos fãs e vamos colocar o máximo esforço na construção", afirmou o mandatário norte-americano.

Além disso, Pallotta também fez questão de frisar que a arena está sendo construída "totalmente com dinheiro privado" e que os 52 mil lugares iniciais podem se tornar 60 mil em grandes eventos, como jogos da Liga dos Campeões. Na apresentação do projeto, ídolos antigos e atuais como Paulo Roberto Falcão, Bruno Conti, Francesco Totti e Daniele De Rossi também estiveram presentes na festa de lançamento.

Com isso, a Roma deve deixar o tradicional Estádio Olímpico (sua casa), que deverá receber somente as partidas da arquirrival Lazio. Inaugurado em 1937, o local, que sediou a final da Copa do Mundo de 1990, passou a ser a casa do time giallorosso em 1953.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.