Sirli Freitas/Divulgação
Sirli Freitas/Divulgação

Com ajuda de Zico, Liga Japonesa faz reunião com a Chapecoense e promete ajudar

Ex-jogador faz mediação, e entidade convidada clube para torneio e garante campanha de doação

O Estado de S. Paulo

31 de março de 2017 | 17h49

O ex-jogador Zico esteve em Chapecó na tarde desta sexta-feira na missão de ajudar a Chapecoense a ganhar mais um auxílio. O ídolo do Flamengo levou à cidade o presidente da Liga Japonesa, Mitsuru Murai, e promoveu o encontro com dirigentes do time catarinense. A conversa combinou a participação da equipe em torneios na Ásia e o recebimento de doações.

O presidente da Chapecoense, Plínio David de Nês Filho, o Maninho, recebeu os convidados em uma sala do aeroporto municipal, onde conversaram por aproximadamente uma hora. "Queremos fazer uma troca de gentilezas entre Brasil e Japão. Então, convidamos a Chapecoense e variados times para uma competição internacional no fim do ano, em Nagano", disse Murai. A comitiva asiática trouxe de presente para a cidade várias mensagens de apoio escritas em bilhetes por japoneses.

No encontro, a Chapecoense recebeu a promessa de que a Liga Japonesa vai organizar uma campanha de doação de fundos para ajudar na reconstrução do clube. A equipe catarinense, como é campeã da Sul-Americana, vai ao Japão no meio do ano para disputar a Copa Suruga, diante do Urawa Red Diamonds, atual vencedor da Copa da Liga Japonesa.

"Tivemos conversas de relação colaborativa entre clubes do Japão e a Chape. Levaremos daqui para frente em uma análise mais detalhada de como vão se proceder os próximos passos. Há a iniciativa deles de arrecadar fundos para nos ajudar também", comentou o presidente da Chapecoense.

Zico também auxiliou a equipe de Santa Catarina ao repassar cerca de R$ 250 mil arrecados no amistoso promovido por ele no fim do ano passado, no Maracanã. "Foram 15 anos passados no Japão. Ajudei a dar o pontape inicial da Liga. Então, é uma honra saber que o presidente me convidou para de alguma forma estar presente nessa união com a Chapecoense", disse o ex-jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.