Itamar Aguiar/Internacional
Itamar Aguiar/Internacional

Com ampla vantagem, Medeiros é reeleito presidente do Inter para biênio 2019/20

Mandatário soma 92,95% dos votos e fatura maioria do pleito com tranquilidade

Estadão Conteúdo

08 Dezembro 2018 | 21h14

Com ampla vantagem nos votos, Marcelo Medeiros, candidato da Chapa 1, foi reeleito presidente do Internacional em votação realizada na tarde deste sábado e seguirá no cargo pelo próximo biênio. O mandatário somou 92,95% dos votos e venceu o pleito com muita tranquilidade.

Dos 16.259 votantes, 14.441 optaram por Medeiros. Apenas 1.156 sócios (7,41%) que estiveram na votação optaram pelo candidato da oposição, Luciano Davi. O resultado foi proclamado pelo presidente do Conselho Deliberativo, Sérgio Juchen, no Gigantinho, em Porto Alegre. O pleito também definiu a renovação de 150 da 300 cadeiras do Conselho Deliberativo do clube.

A votação ocorreu das 9h às 17h neste sábado. Pela primeira vez, os sócios também puderam votar via aplicativo e pelo site do clube, opção escolhida pela maioria. Dos 16.259 dos sócios que participaram do pleito, apenas 3.142 deles votaram presencialmente. Eram esperados ao menos 20 mil votos dentro de um universo de 64.372 associados aptos.

A Chapa "Paixão, Trabalho e Resultados", encabeçada por Marcelo Medeiros, mantém a composição do Conselho de Gestão. João Patrício Herrmann (1º vice-presidente), Alexandre Chaves Barcellos (2º vice-presidente), Humberto Cesar Busnello, (3º vice-presidente) e José de Medeiros Pacheco (4º vice-presidente) também compõem a chapa e Roberto Melo continuará como vice-presidente de futebol do Inter.

Marcelo Medeiros esteve à frente do Inter em momentos distintos. Em seu mandado, o time colorado subiu da Série B à elite do futebol brasileiro e, neste ano, apesar de um início ruim, com eliminações doloridas, conseguiu brigar pelo título do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho não foi capaz de bater o Palmeiras, mas assegurou o terceiro lugar no torneio nacional e voltará a disputar a Copa Libertadores em 2019.

Paralelamente ao pleito principal, também aconteceu a votação entre os conselheiros para alteração do estatuto do clube, a fim de adequá-lo às exigências da Lei Federal nº 13.155/2015, referente ao Profut. A reforma foi aprovada por unanimidade dos votos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.