Divulgação
Divulgação

Vasco cede empate à Chapecoense com pênalti polêmico no fim

Clube carioca continua na 19ª colocação, com 28 pontos

THIAGO RABELO, ESPECIAL PARA A AE, Estadão Conteúdo

15 de outubro de 2015 | 21h49

Um pênalti polêmico aos 40 minutos do segundo tempo tirou uma vitória que daria vida nova ao Vasco na fuga contra o rebaixamento. Em jogo pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro, o time alvinegro carioca ficou no empate com a Chapecoense por 1 a 1, nesta quinta-feira, no estádio do Maracanã, no Rio, e frustrou a torcida.

O jogo também ficou marcado por um toque de mão de Tiago Luís dentro da área no fim do jogo, mas ignorado pelo árbitro mineiro Ricardo Marques Ribeiro, que deixou o gramado sob protestos de jogadores e torcida. Com o empate, o Vasco permanece na 19ª posição, com 28 pontos. Já a Chapecoense foi para 35 e assumiu a 14ª colocação.

Os primeiros 15 minutos de jogo deram a impressão de que o Vasco teria vida fácil no confronto. De forma bem agressiva, a equipe se lançou ao ataque e encurralou a Chapecoense no campo de defesa. Desta pressão, o time conseguiu dois lances perigosos. Primeiro em chute de Nenê, que ficou na defesa, depois com Leandrão, em cabeçada defendida pelo goleiro Danilo.

Mas o Vasco ficou por aí. Com o adversário bem fechado, o nervosismo crescia a cada minuto e também o surgimento de falhas defensivas. Em uma delas, o goleiro Jordi saiu errado e deixou o gol livre para Túlio de Melo. Por sorte, o árbitro marcou impedimento. Minutos depois, ele se redimiu e fez bonita defesa na tentativa de Ananias.

Na etapa final, o Vasco voltou a assustar a torcida. Aos 12 minutos, Túlio de Melo marcou de cabeça, mas a arbitragem marcou falta do atacante e anulou o gol. Passado o susto, os cariocas reagiram e voltaram a dominar o jogo. Poderia ter feito aos 24, com Andrezinho, em belo passe de Nenê, mas o meia parou na boa defesa de Danilo.

Aos 26 minutos, o alívio no Maracanã. Nenê cobrou escanteio e Rodrigo marcou de cabeça: 1 a 0. A defesa catarinense pediu a marcação de uma falta, mas o árbitro ignorou. O Vasco esfriou a partida e a Chapecoense parecia não ter forças. Porém, aos 40, a arbitragem entrou em ação ao marcar pênalti por um toque de mão de Rodrigo, em cruzamento despretensioso. Bruno Rangel cobrou e empatou o jogo.

Dois minutos mais tarde, mesma cena. Tiago Luís tentou de cabeça, mas acertou a mão na bola. A diferença é que desta vez o árbitro nada marcou, para a ira de torcida e jogadores, que protestaram ao final da partida.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 x 1 CHAPECOENSE

VASCO

Jordi; Bruno Ferreira, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Bruno Gallo, Julio dos Santos (Diguinho), Andrezinho e Nenê; Herrera (Romarinho) e Leandrão (Riascos). Técnico: Jorginho

CHAPECOENSE

Danilo; Apodi, Willian Thiego, Neto e Dener; Elicarlos, Cleber Santana, Camilo, Ananias (Gil) e Maranhão (Tiago Luís); Túlio de Melo (Bruno Rangel). Técnico: Guto Ferreira

GOLS

Rodrigo, aos 26, e Bruno Rangel (pênalti), aos 40 minutos do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS

Romarinho, Leandrão, Rodrigo e Herrera (Vasco); William Thiego, Danilo, Camilo e Neto (Chapecoense)

ÁRBITRO

Ricardo Marques Ribeiro (Fifa/MG)

RENDA

R$ 728.635,00

PÚBLICO

22.827 pagantes (25.983 no total)

LOCAL

Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoVascoChapecoense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.