Washington Alves/Reuters
Washington Alves/Reuters

Com ataque 'perfeito', Atlético-MG não toma conhecimento e despacha o Corinthians em BH

Time do técnico Cuca soma mais uma vitória com gols de seus três atacantes: Diego Costa, Keno e Hulk

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2021 | 21h01

O Corinthians não foi páreo para o Atlético-MG no Mineirão. O líder do Brasileirão impôs uma dura derrota ao time do técnico Sylvinho, que tinha como objetivo entrar no G-4. O placar de 3 a 0 nesta quarta-feira, diante de mais de 60 mil torcedores, foi construído com uma atuação com o selo de qualidade da equipe mineira, que está cada vez mais próxima de encerrar o jejum de 50 anos sem o título nacional. 

O time alvinegro não conseguiu machucar o Atlético em nenhum momento durante os 90 minutos. A terceira vitória consecutiva não foi alcançada, o que impediu o Corinthians de figurar no grupo que garante vaga direta na Libertadores nesta rodada. A torcida terá de esperar até o próximo sábado, quando o time recebe o Cuiabá, na Neo Química Arena.

Diego Costa abriu os braços para reclamar da falta de marcação na saída de bola nos minutos iniciais. O gesto do atacante foi de comemoração pouco depois, após o Atlético avançar suas peças e pressionar o Corinthians. O gol contou com uma contribuição de Cássio. O goleiro corintiano não conseguiu firmar sua chuteira no gramado molhado do Mineirão e falhou ao tentar evitar o chute da intermediária do atleticano: 1 a 0.

Até o gol, o Corinthians cumpria o papel estabelecido por Sylvinho: ocupar os espaços na marcação e, de posse da bola, atuar na vertical, com rapidez. A desvantagem no placar forçou um ajuste de rota. A equipe não poderia ficar só esperando no campo defensivo para depois contra-atacar.

O Atlético, que não é líder do Brasileirão à toa, inverteu o desenho tático com o Corinthians. Recuou, forneceu terreno para o visitante e ganhou espaço para atuar com velocidade no último terço do campo. A maior posse de bola da equipe de Sylvinho (54%) não gerou nenhuma oportunidade. A opção de Renato Augusto como jogador de referência, entre os zagueiros, foi um erro. Quem quase marcou foi o time mineiro, com Hulk. Cássio, desta vez, salvou.

Sylvinho tratou de tentar corrigir o erro de posicionamento no intervalo. Gabriel Pereira entrou no lugar de Du Queiroz para atuar aberto pela direita. Gustavo Silva foi para o lado esquerdo, com Roger Guedes na referência. Renato Augusto recuou para atuar na armação e foi justamente na função que gosta de exercer que entregou o ouro na saída de bola. Keno aproveitou e acertou o ângulo de Cássio. 

O segundo gol freou qualquer reação do Corinthians. Apesar das alterações, nada mudou no roteiro da partida. A equipe de Sylvinho não conseguia criar. O goleiro Everson foi um espectador, assim com os outros mais de 60 mil atleticanos. Os torcedores fizeram uma festa enorme no Mineirão do início ao fim, quando Hulk, o artilheiro atleticano, ainda marcou o terceiro.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 0 CORINTHIANS

ATLÉTICO-MG - Everson; Mariano (Guga), Nathan Silva, Réver e Arana; Allan (Hyoran), Tchê Tchê e Zaracho (Nathan), Keno (Borrero), Hulk e Diego Costa (Jair). Técnico: Cuca.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, João Victor, Gil e Fábio Santos; Gabriel, Du Queiroz (Gabriel Pereira) e Giuliano; Gustavo Silva (Vitinho), Roger Guedes (Jô) e Renato Augusto. Técnico: Sylvinho.

GOLS - Diego Costa, aos 13 minutos do primeiro tempo. Keno, aos 5, Hulk, aos 50 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Braulio da Silva Machado (SC). 

CARTÕES AMARELOS - Giuliano, Keno, Arana e Fábio Santos. 

PÚBLICO - 60.142 pessoas. 

RENDA - R$ 2.377.732,00. 

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.