Rodrigo Jiménez/EFE
Rodrigo Jiménez/EFE

Com atraso, Messi se apresenta aos treinos da Argentina para a Copa América

Jogador foi recepcionado por Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino, e por Cesar Luis Menotti, diretor de seleções

Redação, Estadão Conteúdo

28 de maio de 2019 | 18h40

Lionel Messi se apresentou nesta terça-feira à seleção argentina para os treinamentos, visando a disputa da Copa América. O craque do Barcelona foi recepcionado por Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), e por Cesar Luis Menotti, diretor de seleções nacionais e técnico campeão mundial em 1978.

Messi chegou fora do horário previsto por causa de uma neblina que impediu o pouso do avião particular, o qual o trazia desde Rosário, sua cidade natal. Apesar da série de fracassos com a Argentina, o astro de 31 anos afirmou recentemente sobre a sua intenção de seguir na seleção até a conquista de um título importante, o que poderia ocorrer nesta próxima Copa América, com início previsto no Brasil para o dia 14 de junho.

O atacante do Barcelona teve um descanso da seleção após o fracasso na Copa do Mundo da Rússia - a Argentina foi eliminada nas oitavas de final sob intensas críticas da imprensa e dos torcedores - e retornou em março para um amistoso diante da Venezuela, na Espanha.

Paulo Dybala, jogador da Juventus, também se apresentou nesta terça-feira. Ao ser recepcionado pelos jornalistas no aeroporto, o atacante afirmou que a Copa América não deve ser encarada como uma resposta pelo mau resultado no Mundial do ano passado.

"Não é para se pensar dessa forma, senão vai gerar muita ansiedade, que poderá ser ruim para nós", disse o jogador do time oito vezes campeão consecutivo da Itália, que somou más atuações na temporada. Ao mesmo tempo, ele se considera um felizardo por atuar com Cristiano Ronaldo na Juventus e agora com Messi na seleção argentina.

"Este ano tive a oportunidade de jogar com os dois. São dois fenômenos, dois jogadores históricos. Ter a possibilidade de jogar com eles é uma honra", afirmou Dybala. "Cada um tem suas características, sua forma de jogar, mas são dois grandes."

Dos 23 jogadores convocados pelo técnico Lionel Scaloni para a Copa América, ainda não se apresentaram Matías Suárez, Exequiel Palacios e Franco Armani, todos do River Plate, que vão jogar contra o Athletico-PR, nesta quinta-feira, em Buenos Aires, o confronto de volta da final da Recopa Sul-Americana.

Esteban Andrada, goleiro do Boca Juniors, vai disputar a final da Copa da Superliga, neste domingo, enquanto o defensor Juan Foyth, do Tottenham, se integrará aos treinamentos após a decisão do Liga dos Campeões, na qual o seu time enfrentará o Liverpool, neste sábado, em Madri.

A Argentina, que não conquista um título importante desde 1993, quando ganhou justamente a Copa América, está no Grupo B desta edição da competição, ao lado de Colômbia, Paraguai e Catar. A estreia será diante dos colombianos, no dia 15 de junho, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.