Rodrigo Jiménez/EFE
Rodrigo Jiménez/EFE

Com atraso, Messi se apresenta aos treinos da Argentina para a Copa América

Jogador foi recepcionado por Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino, e por Cesar Luis Menotti, diretor de seleções

Redação, Estadão Conteúdo

28 de maio de 2019 | 18h40

Lionel Messi se apresentou nesta terça-feira à seleção argentina para os treinamentos, visando a disputa da Copa América. O craque do Barcelona foi recepcionado por Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), e por Cesar Luis Menotti, diretor de seleções nacionais e técnico campeão mundial em 1978.

Messi chegou fora do horário previsto por causa de uma neblina que impediu o pouso do avião particular, o qual o trazia desde Rosário, sua cidade natal. Apesar da série de fracassos com a Argentina, o astro de 31 anos afirmou recentemente sobre a sua intenção de seguir na seleção até a conquista de um título importante, o que poderia ocorrer nesta próxima Copa América, com início previsto no Brasil para o dia 14 de junho.

O atacante do Barcelona teve um descanso da seleção após o fracasso na Copa do Mundo da Rússia - a Argentina foi eliminada nas oitavas de final sob intensas críticas da imprensa e dos torcedores - e retornou em março para um amistoso diante da Venezuela, na Espanha.

Paulo Dybala, jogador da Juventus, também se apresentou nesta terça-feira. Ao ser recepcionado pelos jornalistas no aeroporto, o atacante afirmou que a Copa América não deve ser encarada como uma resposta pelo mau resultado no Mundial do ano passado.

"Não é para se pensar dessa forma, senão vai gerar muita ansiedade, que poderá ser ruim para nós", disse o jogador do time oito vezes campeão consecutivo da Itália, que somou más atuações na temporada. Ao mesmo tempo, ele se considera um felizardo por atuar com Cristiano Ronaldo na Juventus e agora com Messi na seleção argentina.

"Este ano tive a oportunidade de jogar com os dois. São dois fenômenos, dois jogadores históricos. Ter a possibilidade de jogar com eles é uma honra", afirmou Dybala. "Cada um tem suas características, sua forma de jogar, mas são dois grandes."

Dos 23 jogadores convocados pelo técnico Lionel Scaloni para a Copa América, ainda não se apresentaram Matías Suárez, Exequiel Palacios e Franco Armani, todos do River Plate, que vão jogar contra o Athletico-PR, nesta quinta-feira, em Buenos Aires, o confronto de volta da final da Recopa Sul-Americana.

Esteban Andrada, goleiro do Boca Juniors, vai disputar a final da Copa da Superliga, neste domingo, enquanto o defensor Juan Foyth, do Tottenham, se integrará aos treinamentos após a decisão do Liga dos Campeões, na qual o seu time enfrentará o Liverpool, neste sábado, em Madri.

A Argentina, que não conquista um título importante desde 1993, quando ganhou justamente a Copa América, está no Grupo B desta edição da competição, ao lado de Colômbia, Paraguai e Catar. A estreia será diante dos colombianos, no dia 15 de junho, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.