Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Com braçadeira de capitão, Julio Cesar se emociona após reestreia pelo Flamengo

Goleiro estava no futebol do exterior há 14 anos e retornou ao rubro-negro nesta quarta-feira

Estadão Conteúdo

08 Março 2018 | 10h22

Após mais de 13 anos, o goleiro Julio Cesar fez sua reestreia pelo Flamengo na noite da última quarta-feira para dar início à sua despedida do futebol. Em sua primeira partida pelo time carioca desde 2004, o veterano de 38 anos foi pouco exigido na vitória do Flamengo por 3 a 0 sobre o Boavista, pela quarta rodada da Taça Rio, e esteve em campo mais como um espectador.

+ TEMPO REAL: Boavista 0 x 3 Flamengo

+ Confira a tabela da Taça Rio

O jogador discursou emocionado antes e depois da partida. No vestiário, Julio Cesar foi surpreendido ao receber a braçadeira de capitão do companheiro Juan e tomou a palavra para agradecer sua volta ao time rubro-negro.

"Três meses atrás, eu liguei para essa rapaziada que estava aqui atrás de mim pedindo para vir para cá porque eu estava acompanhando vocês lá de Portugal e queria participar desse grupo, desse novo Flamengo e eles me deram essa oportunidade", disse aos companheiros, emocionado, em vídeo divulgado pela FlaTV.

"Vocês não sabem o sentimento que está passando dentro de mim por estar aqui revivendo um momento onde eu comecei. Quero aproveitar cada segundo com vocês", continuou com lágrimas nos olhos antes de entrar em campo.

 

 

Se não foi notado em campo pelas defesas - apareceu apenas uma vez aos 40 minutos para defender chute de Tartá - Julio Cesar foi lembrado a cada momento pela torcida presente no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, curiosamente o mesmo palco de sua última partida pelo time rubro-negro 2004.

No aquecimento, teve seu nome gritado e foi saudado pelos torcedores a cada um dos poucos toques, seja com o pé ou com a mão, que deu na bola. Ao término da partida, foi abraçados por todos os jogadores e, mais uma vez, ovacionado pela torcida, que gritou seu nome.

"Queria agradecer a quem veio prestigiar o time e enfrentou essa chuva. Reencontrar a torcida é um sentimento de muita felicidade e muito especial pra mim. Mas, acima de tudo está o Flamengo", disse em entrevista após a partida.

Com contrato com o Flamengo até o fim do Campeonato Carioca e prestes a se aposentar, o goleiro preferiu não falar sobre seu futuro no momento. "Quero curtir cada momento e me despedir no Campeonato Carioca. Meu próximo jogo eu não sei. Agora é dia após dia, e o futuro a Deus pertence", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.