Yuri Edmundo/EFE
Yuri Edmundo/EFE

Com brilho de Victor nos pênaltis, Atlético-MG avança às oitavas da Sul-Americana

Goleiro defende três cobranças após vitória sobre o Unión La Calera por 1 a 0 no tempo normal

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2019 | 00h08

Herói da conquista da Libertadores de 2013 pelo Atlético Mineiro, Victor voltou a brilhar em uma competição continental pelo clube. Nesta terça-feira, o goleiro defendeu três cobranças do Unión La Calera na disputa de pênaltis, sendo fundamental para o triunfo por 3 a 0, o que garantiu a classificação do time às oitavas de final da Copa Sul-Americana após a vitória por 1 a 0 na partida disputada no Independência.

Na próxima fase, o adversário do Atlético-MG, que havia perdido no Chile por 1 a 0, sairá do confronto entre Botafogo e Sol de América, que será definido nesta quarta-feira no Engenhão, sendo que o time carioca está em vantagem por ter vencido o duelo no Paraguai por 1 a 0.

Embalado pela passagem de fase na Sul-Americana, o Atlético-MG voltará a jogar no domingo, quando receberá o CSA, novamente no Independência, pela sétima rodada do Brasileirão, torneio em que ocupa a vice-liderança.

O JOGO

Mesmo atuando com força máxima e precisando de uma vitória por dois gols de diferença para avançar de fase na Sul-Americana, o Atlético-MG demorou para engrenar na partida, sofrendo, inclusive, no começo com a postura do adversário, que tentava jogar no campo de ataque.

Desorganizado, o Atlético-MG pouco ameaçava o sistema defensivo do La Calera, tanto que só foi criar a primeira chance de gol aos 13 minutos. Foi em uma boa jogada que terminou com a finalização de Patric, que infiltrou na grande área, mas parou em Batalla. O lance pareceu empolgar o Atlético-MG, que quase marcou na sequência com Ricardo Oliveira, após cruzamento de Luan, não fosse a boa defesa do goleiro chileno.

Mas praticamente ficou nisso na etapa inicial, não fossem algumas jogadas de bola parada e por tentativas de Luan. Soberano nas jogadas aéreas ofensivas e defensivas, Igor Rabello chegou com perigo nesse tipo de lance no campo de ataque. Mas acabou sendo pouco para o time reverter a vantagem do La Calera no primeiro tempo, mesmo com a evidente diferença entre os jogadores das equipes.

Insatisfeito, Rodrigo Santana fez duas mudanças no Atlético-MG já no intervalo, trocando Ricardo Oliveira, que reclamara de dores e completou o sétimo jogo consecutivo sem marcar gols, e Cazares por Alerrandro e Chará. A situação, porém, não melhorou muito para o time, que parava na bem postada defesa adversária.

O Atlético-MG conseguia surpreender o La Calera apenas em alguns avanços de Patric, com posicionamento bastante ofensivo durante todo o duelo, como aos oito minutos, quando parou em Batalla, e aos 21, quando bateu mal de esquerda. Essa tentativa, aliás, marcou o começo de uma blitz do time, que quase marcou com Chará na sequência, e fez o seu gol aos 24 minutos. No lance, Luan acionou Elias na ponta direita. De lá, ele cruzou para Alerrandro bater de primeira e fazer 1 a 0.

O gol não chegou a alterar o cenário de domínio do Atlético-MG, mas o time deixou de ser tão incisivo no campo de ataque, até pela mudança de postura do La Calera, que passou a valorizar mais a posse de bola. E o time só voltou a ameaçar nos acréscimos, quando Maicon Bolt e Alerrandro falharam em boas oportunidades. Assim, a definição do confronto ficou para os pênaltis.

Na disputa de pênaltis, Victor defendeu as cobranças de Bou, Leyton e Larrondo. Fábio Santos e Luan converteram para o Atlético, enquanto Leonardo Silva acertou o terceiro chute do time, garantindo a equipe mineira nas oitavas de final da Sul-Americana. Mas o papel de herói ficou mais uma vez com o seu goleiro.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 1 (3) x 0 (0) UNIÓN LA CALERA

ATLÉTICO-MG - Victor; Patric, Leonardo Silva, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Elias, Luan Cazares (Chará) e Geuvânio (Maicon Bolt); Ricardo Oliveira (Alerrandro). Técnico: Rodrigo Santana.

UNIÓN LA CALERA - Augusto Batalla; Andia, Pablo Alvarado, Christian Vilches, Navarrete (Thomas Rodríguez) e Wiemberg; Matías Laba, Lobos (Leyton), Juan Leiva (Zúñiga); Marcelo Larrondo e Walter Bou. Técnico: Francisco Meneghini.

GOL - Alerrandro, aos 24 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Daniel Fedorczuk (Fifa/Uruguai).

CARTÕES AMARELOS - Leonardo Silva e Leyton.

RENDA - R$ 205.060,00.

PÚBLICO - 16.658 torcedores.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.