Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Com carta branca, Cuca reformula elenco do Palmeiras

Técnico explica as trocas de jogadores, a redução de atletas no elenco e garante: ‘Sei o que estão fazendo’

VÍTOR MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

28 de abril de 2016 | 07h00

Cuca substituiu Marcelo Oliveira, assumiu o Palmeiras em meio a duas competições e colheu eliminações na Libertadores e no Paulista. O projeto, agora, é outro. Começando do ‘zero’ a preparação para o Campeonato Brasileiro, o técnico ganhou carta branca da diretoria para realizar uma série de mudanças no elenco.

A decisão de qualificar e reduzir o elenco já foi colocada em prática, com as trocas de jogadores anunciadas na terça-feira e saídas de mais atletas confirmadas ontem pelo clube. Com o aval da diretoria, Cuca quer moldar um novo Palmeiras ao seu modo, como fez, por exemplo, na passagem pelo Atlético-MG.

“Sei o que estou fazendo”, garantiu o treinador em entrevista coletiva na Academia na reapresentação do elenco após dois dias de folga. “Quando você faz algumas trocas nem todos ficam contentes, críticas vão vir, mas não me incomodo com isso”, afirmou.

A troca feita com o Cruzeiro causou surpresa. O Palmeiras emprestou o lateral-direito Lucas e o meia Robinho e recebeu do clube mineiro dois jogadores: os laterais Fabiano (direito) e Fabrício (esquerdo). 

Já com Cuca no comando, Lucas tinha virado reserva, Robinho, não. Ele havia sido titular na eliminação no Paulista para o Santos, na Vila Belmiro. O técnico, no entanto, negou problemas extracampo com os atletas e disse que a decisão de trocar os atletas foi “técnica.”

“Não tenho queixa nenhuma aos atletas, pelo contrário”, disse. “Acho que as duas equipes vão ficar bem servidas. Não é o caso de ver quem sai ganhando ou perdendo.”

Três jogadores pouco utilizados deixaram o Palmeiras. Nathan foi para o Criciúma, Fellype Gabriel rescindiu seu contrato e Victor Luis está indo para o Botafogo. Cuca afirmou que é impossível trabalhar com 38 jogadores no elenco. Segundo ele, é preciso reduzir o grupo.

Mais jogadores devem deixar o clube antes do início do Brasileirão – o Palmeiras estreia no dia 14 de maio, contra o Atlético-PR, no Allianz Parque. O segundo passo, após enxugar o elenco, é reforçar o time. “Dentro do que nós projetamos para o segundo semestre, é preciso fortalecer (o elenco) e vamos em busca disso. Mas tudo será feito com calma e tranquilidade, sabem que o grupo é bom e que pode ficar melhor.”

TREINOS NO INTERIOR

O planejamento de Cuca também prevê uma preparação para o Brasileiro fora de São Paulo, mais precisamente no interior do Estado. O técnico pretende aprimorar a parte tática e técnica da equipe.  E a maneira de jogar do time já é diferente da armada por Marcelo Oliveira. Isso ficou claro nos últimos jogos, quando a equipe mostrou reação e evolução, apesar das eliminações nas duas competições.

Todas as mudanças feitas por Cuca têm o respaldo do diretor de futebol Alexandre Mattos e do presidente Paulo Nobre. O técnico reconheceu que saídas de jogadores podem gerar descontentamento, mas garantiu que sabe o que está fazendo. “Eu gosto de fazer montagens (no elenco), e modéstia à parte eu sei fazer. Não me lembro de ter feito uma má montagem.”.

Até o início do Brasileiro, o Palmeiras deve disputar dois jogos-treino para amenizar a falta de ritmo nesse intervalo de quase três semanas sem jogos oficiais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.