Jesus Vicente/EC São Bento
Jesus Vicente/EC São Bento

Com clube em crise, técnico desiste de assumir a Portuguesa na Série A2

Paulo Roberto Santos diz que jogadores não querem ir para o clube e teria pouco tempo para tentar solucionar os problemas

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2019 | 15h56

Paulo Roberto Santos não será técnico da Portuguesa. Na última sexta-feira, o clube anunciou o acerto, mas o acordo não durou muito tempo e já foi desfeito nesta segunda. O grande entrave foi a falta de recursos financeiros para contratar pelo menos seis reforços, considerados como de extrema necessidade pelo treinador para tirar o clube da zona de rebaixamento da Série A2 do Campeonato Paulista.

"Não vai dar para assumir não. Porque eu acho que o tempo é muito curto para fazer o que precisa fazer para reverter a situação. A gente precisava fazer pelo menos umas seis contratações, no mínimo, e só tem quatro inscrições para serem feitas (na lista da Série A2). E o presidente (Alexandre Barros) alegou também que já estourou orçamento. Eu também tentei alguns nomes e os quatro com os quais eu conversei não quiseram ir", avaliou o técnico.

Antes de assumir oficialmente, Paulo Roberto Santos compareceu ao Canindé no último domingo e assistiu à derrota da Portuguesa por 3 a 2 para o Penapolense, depois do adversário abrir três gols de diferença. Com o resultado dentro de casa, o clube caiu para a lanterna da Série A2 do Paulista, com apenas cinco pontos e nenhuma vitória na temporada. Faltam seis rodadas para acabar esta fase da competição estadual e, com a desistência de Santos, Alan Dotti deve seguir como interino.

"Eu cheguei à conclusão que o tempo vai ser muito curto para reverter a situação. Então eu já liguei para o presidente e já avisei ele que infelizmente a gente não vai assumir. Porque eu acho que o tempo é curto e os jogadores não querem ir para a Portuguesa. Eu fui assistir ao jogo (contra o Penapolense) e saíram três jogadores machucados no primeiro tempo, eu nunca vi isso no futebol. Então você sente também que o clima tá muito pesado", completou.

Torcedores da Portuguesa protestaram antes da partida contra o Penapolense e o principal alvo foi o presidente Alexandre Barros. Cerca de 150 pessoas se manifestaram em frente ao Canindé para pedir a saída da atual diretoria, tudo com a presença da Polícia Militar (PM) e de forma pacífica, sem nenhum relato de confusão. Faixas também foram estendidas com tom de cobrança por causa da atual fase do clube, que corre sério risco de ser rebaixado à Série A3.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPortuguesaPaulo Roberto Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.