Arquivo/Estadão
Arquivo/Estadão

Com contrato até 2016, Doriva vai rever velho colega no São Pauo

Técnico volta a trabalhar com Rogério Ceni depois de 21 anos

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2015 | 07h00

Doriva começa nesta quinta-feira o trabalho como técnico do São Paulo, ao deixar a Ponte Preta e assinar contrato até dezembro de 2016. O novo treinador chega apenas um dia depois de Juan Carlos Osorio se despedir dos jogadores e partir para o México, onde assume a seleção do país.

A troca rápida no comando do time ajuda o São Paulo a minimizar a crise política causada pela demissão coletiva da diretoria. A saída de todos os membros, somada ao adeus de Osorio, deixou o departamento de futebol esvaziado.

Antes mesmo de o São Paulo confirmar a contratação de Doriva, a notícia veio a público pela Ponte Preta. O clube campineiro publicou nota oficial em seu site na tarde desta quarta-feira para comunicar a saída do treinador rumo ao Morumbi.

A negociação com o técnico ficou sob responsabilidade do gerente de futebol José Eduardo Chimello, que trabalhou junto com Doriva no Ituano, em 2014. Como o departamento de futebol sem diretores, o dirigente cuidou das conversas enquanto Aidar estava em Brasília para depor na CPI do Futebol.

Doriva dirigiu a Ponte Preta por 15 jogos e vai iniciar o trabalho na terceira equipe diferente nesta temporada. O ano começou no Vasco, onde foi Campeão Carioca. Pouco depois do título, o treinador ainda recebeu uma proposta para se transferir ao Grêmio.

Doriva ganhou projeção no futebol nacional em 2014, ao levar o Ituano ao título do Campeonato Paulista. Na campanha o time derrotou o São Paulo em pleno Morumbi na primeira fase, eliminou o Palmeiras na semifinal e derrotou o Santos na final, nos pênaltis.

Despedida de Osorio

No ano passado Doriva ainda teve passagem pelo Atlético-PR e no fim do ano chegou a ser anunciado pelo Botafogo-SP. Mas, antes mesmo de começar o trabalho em Ribeirão Preto, aceitou a proposta do Vasco e seguiu para o Rio.

O contratação de Doriva representa o retorno do treinador ao time onde começou a carreira como jogador. O ex-volante foi revelado pelo São Paulo em 1991 e, após passar a temporada seguinte emprestado a outras equipes, voltou em 1993 para participar de conquistas importantes do clube.

Doriva disputou 90 partidas pelo São Paulo e foi campeão do Mundial Interclubes, da Supercopa da Libertadores e da Recopa Sul-Americana. Logo depois se transferiu para o Atlético-MG e seguiu carreira no futebol italiano, português, espanhol e inglês, até se aposentar em 2007. Pela seleção brasileira, integrou o grupo que disputou a Copa do Mundo de 1998.

No São Paulo o técnico vai reencontrar Rogério Ceni, de quem foi colega de equipe nos tempos de jogador e também na seleção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.