Com contrato prorrogado, Eduardo Baptista se diz motivado por projeto na Ponte

'Mas não é o contrato que vai me segurar aqui no clube', admite treinador, sondado pelo Corinthians

Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2016 | 18h27

Um dos técnicos em destaque na atual temporada, Eduardo Baptista confirmou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, que realmente prorrogou o seu contrato com o clube para dezembro de 2017. Ele disse que a informação acabou vazando e que a ideia era segurar um pouco para não dar a impressão de que não há mais objetivo a ser atingido no Campeonato Brasileiro.

"Já tinha definido com o Gustavo Bueno (gerente de futebol) há quase três meses. Mas não é o contrato que vai me segurar aqui no clube e, sim, o projeto todo armado pela diretoria junto com toda a comissão técnica. Estou alegre e motivado", explicou o técnico, que foi especulado em grandes clubes como Grêmio e Corinthians. As bases do novo acordo não foram reveladas.

Com a eliminação da Copa do Brasil, após dois empates com o Atlético Mineiro, o time foca totalmente a disputa do Brasileirão. Lamentação de um lado, motivação de outro. "Nós provamos dentro de campo que poderíamos seguir adiante, mas caímos por detalhes. Empatamos duas vezes com o Atlético (1 a 1, no Mineirão, e 2 a 2, no Moisés Lucarelli), que é um dos elencos mais fortes da atualidade. Agora vamos dar o máximo no Brasileiro", concluiu.

Após o treinamento técnico-tático realizado na manhã desta sexta-feira no gramado do estádio Moisés Lucarelli, a delegação almoçou e já seguiu para Curitiba, onde vai enfrentar o Atlético Paranaense, neste domingo, às 11 horas, pela 27.ª rodada.

O lateral-direito Nino Paraíba, com uma lesão muscular, nem viajou com o grupo, o mesmo ocorrendo com o meia Rhayner, se recuperando de uma pancada no tornozelo. Mas o meia Thiago Galhardo, que deixou o campo com uma entorse no tornozelo esquerdo, treinou e também deve continuar como titular.

Por outro lado, voltam o volante Wendel e o atacante William Pottker, artilheiro do time com 11 gols. Ambos não atuaram na última quarta-feira no empate com o Atlético Mineiro porque já tinham defendido outros clubes na competição - respectivamente, Goiás e Linense.

Eduardo Baptista já confirmou que Jeferson vai ser o lateral-direito e que tanto Wendel como William Pottker voltam ao time. Maycon deve perder a vaga no meio de campo, enquanto que no ataque Clayson pode entrar no sistema de rodízio. O que surpreendeu foi a confirmação de que Antônio Carlos vai ser mantido na defesa ao lado de Fábio Ferreira, ocupando a vaga de Douglas Grolli, que estava suspenso e não atuou no meio de semana.

"Este é o momento do Antônio Carlos, um jogador jovem, forte e rápido. Ele marcou o Lucas Pratto, que é da seleção argentina, e foi muito bem. Ele já vinha merecendo a oportunidade de uma sequência de jogos e ela apareceu coma suspensão do Grolli", justificou Eduardo Baptista. Com 39 pontos, a Ponte Preta ocupa a oitava posição e não quer voltar para casa sem pontuar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.