Romildo de Jesus/Futura Press
Romildo de Jesus/Futura Press

Com Cueva decisivo, São Paulo bate o Vitória e respira no Brasileirão

Peruano entra na segunda etapa e decide para o tricolor com gol e assistência

Renan Fernandes, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2017 | 18h05

Em jogo de rivais diretos na corrida para deixar a zona de rebaixamento do Brasileirão, o São Paulo conseguiu fazer 2 a 1 no Vitória, fora de casa, com atuação decisiva de Cueva e ganhou novo ânimo na competição. Com o resultado, a equipe paulista chega aos 27 pontos, assumindo a 17ª posição. O Coritiba, porém, tem os mesmos 27 pontos, ainda joga nesta segunda-feira e pode ultrapassar os são-paulinos no complemento desta 24ª rodada.

A partida também foi um duelo entre um São Paulo que vem sofrendo muito fora de casa diante de um adversário que vai mal como anfitrião. Até o começo do jogo, o Vitória era o pior mandante do Brasileirão, com apenas nove pontos conquistados em 12 partidas. Por outro lado, o São Paulo começou a rodada como o pior visitante, tendo ganho só cinco pontos longe do Morumbi. Este baixo aproveitamento é um dos fatores que ajuda a explicar a fraca campanha da equipe paulista no torneio nacional.

Apesar de ter contado com uma semana livre de trabalhos para definir os substitutos dos suspensos Jucilei e Edimar no time titular, Dorival Junior enfrentou problemas para administrar. Primeiro com a desavença pública entre Cueva e Rodrigo Caio, após o empate com a Ponte Preta, e depois com a pressão criada no elenco após a reunião aprovada pela diretoria com um grupo seleto de torcedores, dentre eles membros das uniformizadas do clube.

Apesar de ter ficado mais com a bola nos pés e ter arriscado alguns chutes de longa distância, o São Paulo não conseguiu exigir muito do goleiro Fernando Miguel no primeiro tempo. Hernanes, nas bolas paradas, e Pratto, que tentava encerrar uma sequência de sete jogos sem gols, foram os principais destaques do time.

Quarto técnico do Vitória na temporada, Vagner Mancini ousou ao escalar sua equipe com três atacantes. Mas a grande quantidade de passes errados não permitiu que os jogadores de frente fossem municiados.

A partida só mudou com a entrada de Cueva na segunda etapa. O peruano deu uma nova dinâmica ao setor ofensivo, que conseguiu transformar o volume de jogo em gol com Militão. O lateral se livrou da marcação em cobrança de escanteio de Cueva e abriu o placar de cabeça aos 7 minutos. 

Depois do gol, o meio de campo das duas equipes praticamente deixou de existir. Sem criatividade, o Vitória começou a tentar pressionar com bolas cruzadas na área e deixou espaço para o contra-ataque.

No fim da partida, Cueva voltou a ser decisivo. O meia cobrou escanteio fechado, com veneno, e a bola desviou em Fillipe Soutto, que errou ao tentar fazer o corte e tocou a bola para o próprio gol. O goleiro Fernando Miguel ainda tocou na bola, mas ela foi parar no fundo da sua meta. Apesar do desvio, o árbitro Rodolpho Toski Marques deu o gol para o peruano.

Mas, quando o jogo já parecia decidido, Tréllez conseguiu diminuir o placar e deixou a torcida são-paulina apreensiva até o apito final. Porém, a defesa paulista conseguiu se segurar e garantir os três pontos valiosos na sua luta para sair da zona de rebaixamento. 

Com o triunfo em Salvador, o São Paulo ganhou a confiança e a tranquilidade antes de iniciar a semana de preparação para o clássico contra o líder Corinthians, no próximo domingo, às 11 horas, no Morumbi, pela 25ª rodada do Brasileirão. No mesmo dia, o Vitória buscará a reabilitação diante do Atlético-MG, às 19 horas, no Independência, em Belo Horizonte.

FICHA TÉCNICA

VITÓRIA 1 X 2 SÃO PAULO

Gols: Militão, aos 7, Cueva, aos 36, e Tréllez, aos 44 minutos do segundo tempo.

VITÓRIA (4-3-3): Fernando Miguel; Caique Sá (Fillipe Soutto), Kanu, Wallace e Patric; Ramon, Uillian Correia (Carlos Eduardo) e Yago; Neilton (Cleiton Xavier)Tréllez e Kieza. Técnico: Vágner Mancini.

SÃO PAULO (4-5-1): Sidão; Militão, Rodrigo Caio, Arboleda e Júnior Tavares; Petros, Jonatan Gomez (Cueva), Marcos Guilherme (Bruno Alves), Hernanes e Lucas Fernandes (Thomaz); Lucas Pratto. Técnico: Dorival Junior.

Juiz: Rodolpho Toski Marques.

Cartões amarelos: Jonatan Gomez, Uillian Correia, Arboleda, Patric e Cleiton Xavier.

Público: Não disponível.

Renda: Não disponível.

Local: Estádio Barradão, em Salvador (BA).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.