Com defesa mais forte, Santos tenta a recuperação

O Santos precisa vencer o Atlético Mineiro, neste domingo, às 18h30, na Vila Belmiro, para corrigir a sua rota no Campeonato Brasileiro. Vágner Mancini insistiu durante toda a semana que o futuro santista passa pelos resultados deste jogo e do próximo domingo diante do Palmeiras, no Palestra Itália.

SANCHES FILHO, Agencia Estado

21 de junho de 2009 | 08h24

O lateral esquerdo Léo não participou do último coletivo, mas está confirmado. A novidade será a estreia do lateral direito Wagner Diniz, emprestado pelo São Paulo até o fim do ano, no lugar de Pará, que voltará para a reserva.

Mancini deixou para anunciar apenas nos vestiários se vai escalar o colombiano Molina ou o garoto Neymar desde o começo para atuar como meia-atacante.

Depois de sofrer cinco gols nos dois últimos jogos, a luz vermelha acendeu. Mancini trabalhou durante toda a semana em campo e exibiu o vídeo dos 11 gols sofridos para saber onde o erro começava. E concluiu que não houve falha tática e nem gol de contra-ataque. Foram gols em consequência de descuidos.

Por isso, no coletivo de sexta-feira, o técnico treinou uma formação de emergência para fechar a entrada da área tirando um armador - Paulo Henrique Lima - e improvisando o zagueiro Paulo Henrique para atuar como terceiro volante, atrás de Roberto Brum e Rodrigo Souto. Se o time abrir vantagem como contra o Goiás e o Santo André, Mancini deve fechar o time com mais um zagueiro para evitar novas surpresas.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato BrasileiroSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.