Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Com dengue, Guerrero fica 15 dias de molho e está fora de 'decisões'

Peruano não enfrenta San Lorenzo, Plameiras e São Paulo

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2015 | 13h52

Guerrero ficará pelo menos 15 dias fora de combate. Essa é a previsão do departamento médico do Corinthians. De acordo com boletim médico divulgado às 16h30 desta segunda-feira pelo Hospital São Luiz, o peruano está com dengue, "porém o diagnóstico só é determinado após a sorologia se positivar". Não há previsão de alta.

"Clinicamente, ele já está tratando como dengue", disse o médico do Corinthians Ivan Grava nesta segunda-feira. "O prazo de 15 dias é para ele se recuperar e voltar aos treinos. A partir daí, iniciará o trabalho de recuperação física. A evolução dependerá do próprio atacante."

Guerrero é o segundo jogador do Corinthians vítima da epidemia de dengue que atingiu o Estado de São Paulo nos últimos meses. Em fevereiro, o zagueiro Rodrigo Sam, campeão da Copa São Paulo deste ano e recém-promovido das categorias de base, contraiu a doença e precisou ficar duas semanas fora de combate. Os dois casos de dengue no elenco colocaram o departamento médico do Corinthians em alerta. "A orientação faz o que precisa, que é olhar focos de dengue. E os jogadores também usam repelente", disse Grava.

Como o período de repouso começou a contar sábado, dia em que o peruano foi internado, existe a possibilidade de o atacante atuar no segundo jogo da final do Campeonato Paulista caso o Corinthians se classifique. Já é certo que o atacante não enfrentará o San Lorenzo, quinta-feira, pela Libertadores, o Palmeiras, domingo, pela semifinal do Campeonato Paulista, e o São Paulo, pela Libertadores, dia 22, no Morumbi.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.