Com desfalques no setor defensivo, Santos joga contra o Audax na Vila Belmiro

O Santos, já classificado com a segunda melhor campanha do Campeonato Paulista, entra em campo neste domingo e pode influenciar diretamente o futuro do rival São Paulo. Se vencer o Audax, às 16 horas, na Vila Belmiro, pela 15.ª e última rodada, o time da Baixada Santista vai dar uma mão para o rival do Morumbi na briga pela liderança do Grupo C.

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2016 | 07h00

Audax e São Paulo estão separados por dois pontos (24 a 22). Se perder, o Santos vai diminuir as chances de o grande rival assumir a ponta de sua chave - o São Paulo enfrenta o São Bento, em Sorocaba (SP).

Na visão dos jogadores, um resultado ruim poderia diminuir a confiança do grupo. "Estamos conseguindo os resultados. Espero conseguir um bom resultado neste domingo para dar mais moral ao time. Na próxima fase é importante entrarmos bem concentrados, errar pouco", afirmou o goleiro Vanderlei.

Além da motivação para a fase final, o técnico Dorival Júnior terá de escalar um time ofensivo por outra razão: a falta de defensores. Sem Thiago Maia (suspenso) e Renato e Alison (lesionados), o treinador preparou a equipe para o jogo com Léo Cittadini, Rafael Longuine, Vitor Bueno e Lucas Lima. Uma opção é improvisar o lateral-esquerdo Zeca à frente da zaga. "Não estou preocupado. Gosto de meias como volantes", minimizou o treinador.

AUDAX - Classificado pela primeira vez às quartas de final, o Audax quer seguir fazendo história. Neste domingo, tenta confirmar a liderança do Grupo C e garantir o mando de jogo na próxima fase do Paulistão. Dependendo apenas de suas forças, os osasquenses querem surpreender o Santos em plena Vila Belmiro.

"Acho que temos um grande time pra fazer um grande campeonato, chegar até a final. Estamos fazendo um bom campeonato e não vamos deixar cair. Pode ser contra o Santos ou o São Paulo na próxima fase, mas vamos para jogar de igual pra igual contra eles", afirmou o meia Rodolfo.

Na história, o Audax enfrentou o Santos apenas em duas oportunidades, ambas no estádio do Pacaembu, e nunca venceu o adversário. Em seu primeiro ano na elite, o time de Osasco (SP) empatou por 1 a 1 e no ano passado perdeu por 1 a 0.

Satisfeito com as últimas partidas, o técnico Fernando Diniz não fará grandes na equipe que começará jogando. Mesmo já classificado, o time deve ir com força total para encarar o adversário. Ainda sem o zagueiro Bruno Silva, com dores no tornozelo. "Nós vamos para vencer o jogo e estamos treinando pra isso. Não existe motivação maior do que jogar contra um time grande", completou Rodolfo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.