Com desfalques, São Paulo encara série 'decisiva' no Brasileirão

Rogério Ceni e o técnico Muricy Ramalho só pensam em vitórias nos próximos jogos para chegar à liderança

Redação,

21 de julho de 2008 | 10h35

Apesar das três vitórias consecutivas pelo Brasileirão, recolocando a equipe na briga pelo tricampeonato, o goleiro Rogério Ceni prevê momentos difíceis para o São Paulo nas próximas quatro rodadas.Veja também: Classificação Calendário / Resultados  São Paulo vence o Botafogo e fica perto do G-4 do Brasileirão Rádio Eldorado/ESPN - AM 700 - ouça os gols Rogério Ceni já pensa na liderança do Brasileirão Para o goleiro, o clube sofrerá com a ausência de Hernanes e Alex Silva, que se apresentam à seleção brasileira olímpica nesta terça-feira, e podem desfalcar a e equipe em até nove rodadas. Os dois, inclusive, sequer podem voltar, já que têm seus nomes especulados em negociações para a Europa."Será muito difícil nos próximos quatro jogos, porque o São Paulo não contará com atletas como o Miranda e o Borges [contundidos] e o Hernanes e o Alex", avisou Rogério Ceni, que continuou: "Nós temos o André Lima [atacante]e Rodrigo e o Anderson [zagueiros], mas eles só podem jogar em agosto [de acordo com a regulamentação da Fica] e teremos alguns problemas. Mas temos que confiar no que temos, agora, como o Juninho, que tem demonstrado grande futebol. Ele jogou muito diante do Vitória [vitória por 3 a 1] e vai nos ajudar muito."Os quatro jogos citados por Ceni são: Internacional, dia 20, fora de casa; Portuguesa, dia 27, no Morumbi; Figueirense, dia 30, fora de casa, e Vasco, dia 3 de agosto, em casa. Dependendo dos resultados, o São Paulo pode sair de tal série com a liderança da competição. Para tanto, o goleiro são-paulino confia na manutenção no esquema tático dos últimos jogos."Encontramos muitas dificuldades diante do Botafogo [domingo], que é uma equipe muito boa, mas mantivemos o ritmo e não desistimos, por isso conseguimos a vitória. Se continuar da forma como está, nós estaremos bem no campeonato, mesmo porque, até outro dia, estávamos nove pontos atrás do Flamengo, e hoje estamos apenas a três."SEM PENSAR EM PERDERAssim como Rogério Ceni, o técnico da equipe, Muricy Ramalho, admite apenas a vitórias nos próximos jogos, e a primeira justamente do Internacional, time que dirigiu, chegando ao vice-campeonato do Brasileirão em 2005. "Como começamos mal, porque o foco era a Libertadores, a gente tá devendo. Todo jogo para a gente é importante, decisivo. Temos de ganhar. A dificuldade é enorme no Beira-Rio, mas temos que ganhar, senão não vamos encostar de vez. Ganhamos três jogos e encostamos, mas isso tem que continuar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.