Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Com Diego Souza e Pottker, Fred consagra-se artilheiro do Brasileiro pela 3ª vez

Artilheiros terminam a competição com 14 gols cada

Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2016 | 21h53

O Campeonato Brasileiro de 2016 terminou neste domingo e consagrou três nomes como principais goleadores: Fred, do Atlético-MG, Diego Souza, do Sport, e William Pottker, da Ponte Preta. Cada um balançou as redes 14 vezes. O atacante do clube mineiro, no entanto, alcançou um feito maior que os outros, pois se tornou o artilheiro do Brasileirão pela terceira vez na vida, igualando os feitos de Dadá Maravilha, Túlio e Romário.

Esta foi a terceira vez que o Brasileirão terminou com três artilheiros. As outras ocorreram em 2000, com Dill (Goiás), Magno Alves (Fluminense) e Romário (Vasco), e em 2008, com Washington (Fluminense), Keirrison (Coritiba) e Kleber Pereira (Santos).

O mais velho do trio, com 33 anos, Fred anotou 12 gols pelo Atlético-MG e outros dois pelo Fluminense, no início do torneio. Antes de 2016, ele foi o maior goleador nacional em duas oportunidades pelo time carioca, em 2012, com 20 tentos, e 2014, com 18. Neste domingo, ele não entrou em campo, pois o time alvinegro iria enfrentar a Chapecoense - os times deram W.O.

Já Diego Souza, com 31 anos comandou o Sport diante do Figueirense e fez o segundo gol nos 2 a 0 que livraram o time da degola. O atleta que já passou por equipes como Vasco e Palmeiras se tornou o artilheiro pela primeira vez.

Em Campinas, o jovem William Pottker, 22 anos, fez história e se tornou o primeiro artilheiro do Brasileirão na história da Ponte Preta. Tido como 12.º homem da equipe, ele atuou em 31 jogos, mas só em dez partidas completas.

Neste domingo, Pottker abriu o placar na vitória por 2 a 0 sobre o Coritiba, no Moisés Lucarelli, e por muito pouco não marcou o seu 15.º gol, que lhe daria a artilharia isolada. O lance ocorreu já nos acréscimos, quando ele tentou driblar o goleiro William Menezes, que salvou a bola com as pernas.

HISTÓRIA

O maior artilheiro da "Era dos Pontos Corridos" é Washington, recordista em uma só edição, com 34 gols em 2004, pelo Atlético-PR. Depois ele também liderou a artilharia pelo Fluminense, em 2008, com 21 gols, na época ao lado de Kléber Pereira, do Santos, e Keirrison, do Coritiba.

Em 2016, Fred igualou os feitos de nomes consagrados como artilheiros do Brasil. Romário (2000, 2001 e 2005), Túlio (1989, 1994 e 1995) e Dadá Maravilha (1971, 1972 e 1976) também foram artilheiros em três edições do Brasileirão. Mas esta é a primeira vez que um atleta termina o torneio como goleador tendo jogado por duas equipes durante a disputa.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.