Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Com Diniz, São Paulo ganha postura agressiva e 'de peito aberto'

'São Paulo pode chegar muito longe, temos de pensar sempre no melhor', afirma o técnico após bater o Corinthians no Morumbi

Redação, Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2019 | 04h30

Satisfeito com a atuação do São Paulo no clássico de domingo, o técnico Fernando Diniz quer ver sua equipe exibindo uma postura "agressiva e de peito aberto" na sequência do Campeonato Brasileiro, na disputa por uma vaga no G-4 da tabela. O treinador mostrou-se entusiasmado com o rendimento do time após a vitória no clássico sobre o Corinthians, por 1 a 0, no Morumbi, e afirmou que o São Paulo "não tem limites" para continuar crescendo.

São Paulo (quinto colocado) e Corinthians (quarto) estão empatados com 43 pontos, com onze vitórias, mas o time de Itaquera tem um gol a mais de saldo: 11 contra 10.

"O São Paulo pode chegar muito longe, temos de pensar sempre no melhor. É trabalhar treino a treino, jogo a jogo, mas o São Paulo sempre vai entrar para vencer seus jogos. A postura do time vai ser sempre agressiva, encarando o adversário de peito aberto. Acredito que essa equipe tem muito para evoluir em termos de qualidade de jogo e pontuação no campeonato", afirma o treinador.

Questionado sobre a distância de 15 pontos para o líder Flamengo, Fernando Diniz adotou uma postura mais realista e em nenhum momento durante a entrevista comentou em uma possível conquista de título. "Não sei o que pode restar para o São Paulo e a gente também não controla o Flamengo. Temos de procurar fazer o melhor possível. O Flamengo vive um grande momento e não temos controle sobre o time do Rio. A equipe pode fazer jogos cada vez melhores. A equipe tem tudo para evoluir durante o campeonato", diz.

No Morumbi, diante de seu maior rival, o São Paulo demorou para seguir as ordens de Diniz, que queria marcação alta e no campo do adversário. Quando conseguiu acertar esse detalhe, o time melhorou e tomou conta da partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.