Com dois a mais, Palmeiras sofre para vencer Paulista no Pacaembu

SÃO PAULO - Nem vencer o Paulista com dois jogadores a mais em campo é uma tarefa fácil para o Palmeiras atualmente. Nesta quinta-feira, a equipe alviverde teve dificuldades contra o time de Jundiaí mesmo jogando praticamente todo o segundo tempo contra nove atletas, mas venceu, por 2 a 1, no Pacaembu, em jogo adiado da 10.ª rodada do Paulistão. De tão ruim que foi a atuação, o Palmeiras deixou o campo vaiado.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

14 de março de 2013 | 22h29

Agora que tem os mesmos 11 jogos que quase a totalidade dos demais, o Palmeiras está no sexto lugar, com 20 pontos, a três do líder São Paulo, que tem uma partida a menos. Já o Paulista aparece no 12.º lugar, com 13 pontos, quatro à frente da zona de rebaixamento e quatro atrás do G-8.

Ao abrir o placar logo no início do jogo, o Palmeiras acreditava que conseguiria tranquilidade para o restante da partida. Mas não foi isso que se viu no Pacaembu. O Paulista cresceu, principalmente nas costas dos laterais alviverdes, e empatou aos 11. Hudson tentou o chute, pegou mal na bola, mas deu passe para Marcelo Macedo, que recebeu sozinho e bateu para as redes.

Com Kléber sumido, Vinicius precisava sair da área para tentar levar perigo à defesa do time de Jundiaí. Quem mais assustava, porém, era o Paulista. Aos 40 minutos, por exemplo, Rodolfo Testoni arriscou de longe, a bola pegou muita curva, e acertou o travessão.

Mas, aos 44, o Palmeiras achou mais um gol. Patrick Vieira cruzou da direita e a bola foi na cabeça de Vilson, que testou certeiro para marcar. Mal o Paulista deu a saída, Renato fez falta feia em Valdivia, desnecessária, e acabou expulso, deixando, teoricamente, o cenário tranquilo para os donos da casa na volta do intervalo.

Mas na prática, com o Palmeiras, é diferente. Com um a menos, o Paulista continuou pressionando e por muito pouco não empatou aos 11 minutos. Cassiano recebeu nas costas da zaga, tirou de Fernando Prass e chutou. A bola bateu na trave e voltou para o Marcelo Macedo, que bateu para o gol praticamente vazio. Henrique, de forma incrível, salvou em cima da linha.

Logo depois, mais uma ajudinha do time de Jundiaí. Matheus fez falta por trás em Valdivia na entrada da área, já tinha amarelo, e foi expulso, deixando o Paulista com dois jogadores a menos.

Novamente o Palmeiras não soube aproveitar a vantagem que lhe foi oferecida. Valdivia pediu para sair e a equipe não conseguia criar nada com Leandro no lugar dele. Nos minutos finais, o Paulista teve duas ótimas chances, ambas com Flávio. Numa, Prass pegou. Na outra, a bola atravessou a área e não encontrou quem tocasse para o gol vazio.

PALMEIRAS 2 X 1 PAULISTA

PALMEIRAS - Fernando Prass; Weldinho, Maurício Ramos (Léo Gago), Henrique e Marcelo Oliveira (Juninho); Vilson, Márcio Araújo, Valdivia (Leandro) e Patrick Vieira; Vinicius e Kléber. Técnico - Gilson Kleina.

PAULISTA - Richard; Thales, Drausio, Lázaro e Rodolfo Testoni; Matheus, Cassiano (Flávio), Kasado e Renato Ribeiro; Marcelo Macedo (Diego) e Hudson (Chiquinho). Técnico - Giba.

GOLS - Drausio, contra, aos 2, e Marcelo Macedo, aos 13, e Vilson, aos 45 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira.

CARTÕES AMARELOS - Marcelo Oliveira e Drausio.

CARTÃO VERMELHO - Renato Ribeiro e Matheus.

RENDA - R$ 137.505,90.

PÚBLICO - 5.301 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasPaulistaPaulistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.