Edison Vara/Reuters
Edison Vara/Reuters

Com dois de Douglas, Grêmio vence Oriente Petrolero na Libertadores

Com o resultado de 3 a 0, a equipe gremista assumiu a liderança do Grupo 2 da competição

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

17 de fevereiro de 2011 | 21h49

SÃO PAULO - O Grêmio fez nesta quinta-feira a sua lição de casa. No estádio Olímpico, em Porto Alegre, venceu por 3 a 0 o Oriente Petrolero, da Bolívia, e saiu na frente em seu grupo na Copa Libertadores da América. Para chegar à vitória, o time gaúcho contou com duas ajudas providenciais. No primeiro gol, o árbitro uruguaio Líber Prudente viu um pênalti inexistente. No segundo, o goleiro boliviano Hugo Suárez falhou feio. Douglas fechou o placar.

Com o resultado, o Grêmio assumiu a liderança do Grupo 2 da Libertadores, já que no outro jogo da chave, mais cedo, o Júnior de Barranquilla, da Colômbia, só conseguiu fazer um gol de saldo sobre o León de Huánuco. Venceu por 2 a 1, no Peru. O time colombiano é o próximo adversário dos gaúchos.

O jogo. A opção de Renato Gaúcho por escalar o Grêmio com três meias ofensivos demorou a ser assimilada pelo time gremista. Nos dez primeiros minutos, o Oriente Petrolero equilibrou o jogou no Olímpico e chegou a ser mais perigoso que o time da casa.

Quando se encontrou em campo, o Grêmio começou a assustar o goleiro Hugo Suárez. Aos 12 minutos, Carlos Alberto foi lançado pelo meio, bateu forte e mandou para fora. Logo em seguida, o ex-vascaíno tentou da meia-lua e facilitou a defesa de Suárez.

Borges até chegou a marcar. Ele foi lançado pelo meio da área, matou a bola na mão e bateu para o gol. O árbitro Líber Prudente viu a infração e invalidou o lance. Logo em seguida, o atacante criou ótima chance, girando sobre a marcação e saindo na cara do goleiro. Suárez fechou o ângulo e Borges bateu em cima dele.

O jogo só começou a mudar de rumo aos 42 minutos. Gabriel dominou na área e Terrazas se jogou sobre a bola para cortar. A bola bateu claramente na cara dele, mas o árbitro uruguaio deu pênalti, alegando um inexistente toque com a mão. Douglas foi para a cobrança e abriu o placar.

Logo na volta do segundo tempo, quem ajudou foi o goleiro Suárez. Borges girou na entrada da área e chutou fraco. O goleiro tentou encaixar a bola rasteira, mas deixou que ela batesse em seu peito e voltasse para a pequena área. Gilson pegou o rebote e ampliou a vantagem gremista. O terceiro gol entra na conta de Lúcio. O meia fez ótima jogada pela esquerda e só rolou para trás, encontrando Douglas livre para marcar.

Grêmio - 3 - Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Gilson; Fábio Rochemback, Lúcio, Carlos Alberto (Adilson) e Douglas (Maylson); Borges e André Lima (Escudero). Técnico: Renato Gaúcho.

Oriente Petrolero-BOL - 0 - Hugo Suárez; Miguel Hoyos, Alejandro Schiapparelli (Meleán), Gustavo Camaño e Luis Gutiérrez; Fernando Saucedo, Diego Terrazas (Aguirre), Joselito Vaca e Jhasmani Campos (Peña); Mauricio Saucedo e Juan Carlos Arce. Técnico: Ariel Cuffaro Russo.

Gols - Douglas (pênalti), aos 43 minutos do primeiro tempo; Gilson, aos 5, e Douglas, aos 24 minutos do segundo tempo. Cartões amarelos - Carlos Alberto (Grêmio); Gustavo Camaño e Maurício Saucedo (Oriente Petrolero-BOL). Árbitro - Líber Prudente (Fifa-Uruguai). Renda - Não disponível. Público - 35.692 pessoas. Local - Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS).

Veja também:

blog Antero Greco - Grêmio estreia como se deve

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.