Bo Amstrup/AP
Bo Amstrup/AP

Com dois gols de Eriksen, Dinamarca vence País de Gales pela Liga das Nações

No duelo, o país nórdico voltou a contar com seus principais atleta

Estadão Conteúdo

09 Setembro 2018 | 15h50

Com dois gols e Christian Eriksen, a Dinamarca venceu País de Gales por 2 a 0 neste domingo, em casa, na cidade de Aarhus, pela Liga das Nações. No duelo, o país nórdico voltou a contar com seus principais atletas.

No amistoso contra a Eslováquia, na última quinta-feira, o time foi formado por jogadores de divisões inferiores e até do futsal e perdeu por 3 a 0. Isso porque a federação de futebol do país e o sindicato dos atletas discordavam dos valores que seriam pagos pelas apresentações na seleção.

Entre um jogo e outro houve o acordo e a Dinamarca pôde estrear com seu melhor time na Liga das Nações. A seleção local abriu o placar aos 32 minutos. Dalsgaard cruzou da direita na medida para Eriksen mandar para as redes. O País de Gales contava com Gareth Bale e Aaron Ramsey, que foram muito bem marcados e pouco produziram.

O segundo gol dos dinamarqueses saiu aos 20 da etapa final. Viktor Fischer tentou levantar na área e a bola tocou na mão de Ethan Ampadu. O árbitro marcou pênalti. Eriksen bateu e ampliou o marcador para os anfitriões.

Com o resultado, a Dinamarca lidera o Grupo 4 da Liga 2, que é a segunda divisão das seleções europeias. A equipe, com um jogo, tem os mesmos três pontos do País de Gales, que bateu a Irlanda do Norte na estreia, mas melhor saldo de gols. A Dinamarca agora voltará a disputar a competição em 13 de outubro, quando visitará a Irlanda do Norte.

Ainda neste domingo, pela Liga B, a Ucrânia bateu a Eslováquia por 1 a 0, em casa, em duelo válido pelo Grupo 1. Yarmolenko marcou o gol da partida. Pela Liga C, a Bulgária bateu a Noruega por 1 a 0, em casa, em jogo do Grupo 3. Também em seus domínios, a Geórgia derrotou a Letônia pelo mesmo placar em jogo do Grupo 1 da Liga D. Ainda na quarta divisão, a Macedônia venceu a Armênia por 2 a 0 pelo Grupo 4.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.