Andrés Solaro / AFP
Andrés Solaro / AFP

Com dois gols de Ibrahimovic, Milan bate o Napoli e retoma a liderança do Italiano

Time do craque sueco tem dois pontos a mais que o vice-líder Sassuolo, que também venceu na rodada

Redação, Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2020 | 19h32

Com dois gols de sua maior estrela, Zlatan Ibrahimovic, o Milan derrotou o Napoli por 3 a 1 neste domingo, fora de casa, no estádio San Paolo, no encerramento da oitava rodada do Campeonato Italiano, e retomou a liderança da competição, ocupada por algumas horas pelo Sassuolo.

Com o resultado, o Milan derrubou um tabu de mais de dez anos sem vencer o Napoli no San Paolo. O último triunfo havia sido em outubro de 2010. Na ocasião Robinho e Ibrahimovic, hoje um veterano, anotaram os gols da vitória por 2 a 1, e Gattuso, atual técnico do time de Nápoles, ainda vestia a camisa milanista.

Um dos três clubes invictos na liga italiana, o Milan soma 20 pontos e está com dois de vantagem sobre o vice-líder Sassuolo, que também ainda não perdeu. Roma e Juventus fecham o grupo dos quatro melhores, com 17 e 16 pontos, respectivamente. O Napoli caiu três posições e agora ocupa o sexto lugar, com 14.

Aos 39 anos, Ibrahimovic é o grande protagonista da campanha quase perfeita do Milan neste início do torneio. O astro sueco foi mais uma vez decisivo e balançou as redes duas vezes no duelo para deixar Cristiano Ronaldo para trás e se isolar na artilharia do Campeonato Italiano, com 10 gols em seis jogos. O português da Juventus tem oito e Lukaku, da Inter de Milão, sete.

O primeiro de Ibrahimovic foi marcado de cabeça, aos 19 minutos da etapa inicial, após cruzamento de Theo Hernández. Depois disso, o Napoli passou a pressionar, mas a pontaria não estava calibrada. Di Lorenzo acertou o travessão, Mertens parou em Donnarumma, Politano arrematou para fora e Lozano mandou por cima do gol.

Se os anfitriões pecaram nas conclusões, os visitantes se destacaram justamente pela eficiência e ampliaram o marcador novamente com Ibrahimovic, aos nove minutos do segundo tempo. O veterano centroavante recebeu de Rebic e escorou de coxa para as redes. O sueco chegou a marcar o terceiro, mas o lance foi invalidado por impedimento.

O time napolitano ensaiou uma reação com gol de Mertens, aos 18 minutos, em finalização rasteira, mas foi atrapalhado pela expulsão de Bakayoko e não conseguiu chegar ao empate. Nos acréscimos, ainda viu o adversário marcar mais um, com o jovem norueguês Hauge, que saiu do banco de reserva para definir o triunfo aos 49 minutos, após passe de Bennacer.

Em duelo direto na briga contra o rebaixamento, a Udinese derrotou o Genoa fora de casa, por 1 a 0. A equipe foi a sete pontos, deixou o grupo do descenso e empurrou o time de Gênova para a 19ª e penúltima colocação, com cinco pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.