Arquivo/AE
Arquivo/AE

Com dores, atacante Fred é vetado e adia reencontro com torcida

Jogador está fora da partida contra o Figueirense, nesta quarta, às 19h30 no Engenhão

Leonardo Maia, Agência Estado

16 de agosto de 2011 | 17h59

RIO - Após ser perseguido e acusado por torcedores de abusar das noitadas no Rio, Fred vai adiar seu reencontro com a torcida do Fluminense. O atacante sentiu dores musculares nesta terça-feira e foi vetado para a partida contra o Figueirense, nesta quarta, às 19h30, no Engenhão.

O departamento médico do clube decidiu pelo veto por precaução. O atleta, que não teve lesão constatada, começou a sentir dores nos minutos finais da partida contra o Grêmio. Ele teria se desgastado por conta do gramado, pesado em razão da forte chuva. Sem o jogador, o técnico Abel Braga deverá escalar Rafael Moura entre os titulares nesta quarta.

Os médicos, porém, garantiram que Fred voltará ao time para o clássico com o Vasco, também no Engenhão. "São apenas dores. É bom frisar que não há lesão alguma e o jogador não fará exames. A decisão de tirá-lo do jogo foi do departamento médico por precaução. No fim de semana ele joga", esclareceu o médico Victor Favilla.

Com o veto, Fred adiou em quatro dias seu reencontro com a torcida do Fluminense. A relação entre as duas partes está estremecida desde que o atacante foi perseguido por torcedores na madrugada do dia 3, após ser abordado em um bar de Ipanema. Ele se sentiu ameaçado, registrou queixa na delegacia e chegou a dizer que preferia deixar o clube. Na sequência, pediu para ficar de fora dos jogos contra Internacional e América-MG.

Na sexta-feira, o atacante veio a público para desmentir a polêmica informação do jornal Extra de que teriam sido consumidos 60 drinques na mesa em que o jogador estava no bar. Fred criticou duramente o diário carioca e mostrou uma cópia da conta, com 27 drinques.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseFred

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.