Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Com dores, Keirrison promete mudar estilo no Palmeiras

Atacante reconhece que precisa fazer algo diferente para se livrar da forte marcação dos zagueiros

Juliano Costa - Jornal da Tarde,

20 de abril de 2009 | 19h46

O atacante Keirrison revelou nesta terça-feira que tem jogado com dores no joelho direito. "É tendinite. Incomoda um pouco", contou. Mas fez questão de dizer que "isso não pode servir de desculpa" para sua queda de rendimento. "Tenho encontrado mais dificuldade ultimamente porque agora são sempre dois marcadores comigo. Preciso mudar meu estilo para sair dessa."

Veja também:

linkEliminado, Palmeiras se volta para a Copa Libertadores 

tabela Libertadores - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Keirrison teve de tomar anti-inflamatórios no domingo para amenizar as dores no joelho direito. "Quando piso no chão duro incomoda um pouco. Mas agora (nesta segunda, após o treino), por exemplo, já não está doendo. É uma dor que vem e vai, normal no futebol."

Sobre as críticas da torcida, nenhuma reclamação. "Ela está em seu direito", disse o atacante, apelidado de "Pipokeirrison" pelos mais exigentes. "Cobrança sempre vai existir. Ronaldo e Romário já passaram jogos sem fazer gol também. Marcar não é tão simples como parece."

Artilheiro do time no ano com 19 gols, Keirrison já percebeu que o problema nem é ficar sem balançar a rede. A torcida quer é raça, como a de Kléber, o "Gladiador", hoje no Cruzeiro. "Mas meu estilo nunca foi muito de contato (com os zagueiros). Sempre fui de toque de bola."

Na quarta-feira, em reunião na Traffic, Keirrison formalizará a extensão de seu vínculo com o Palmeiras. O documento registrado na CBF tem validade só até o dia 29 de abril, porque o atacante já tinha um pré-contrato com o Desportivo Brasil (da Traffic), assinado em novembro e que começa a valer em 1.º de maio. O contrato com a Traffic é de quatro anos e ele será emprestado ao Palmeiras, numa operação idêntica à dos demais jogadores que a parceira colocou no clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.