Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Com dores musculares, Cazares e Ricardo Oliveira desfalcam o Atlético-MG

Meia e atacante ficam fora diante da Chapecoense, nesta sexta-feira, pelo Campeonato Brasileiro

Estadão Conteúdo

04 Outubro 2018 | 17h38

O Atlético-MG não poderá contar com duas importantes peças no sistema ofensivo para encarar a Chapecoense neste sábado, na Arena Condá. O meia Cazares e o atacante Ricardo Oliveira sentiram problemas físicos e foram vetados nesta quinta-feira do confronto válido pela 28.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ricardo Oliveira vinha reclamando de dores na coxa direita, não treinou nos últimos dias e teve o desfalque confirmado nesta quinta. Em seu lugar, o técnico Thiago Larghi deverá escalar Denilson.

Já Cazares vinha trabalhando normalmente, mas durante a atividade com bola desta quinta, na Cidade do Galo, sentiu a coxa esquerda e precisou deixar o gramado. Momentos mais tarde, também foi confirmado como ausência e deverá dar lugar no sábado a Matheus Galdezani.

O Atlético-MG ainda levou outro susto na atividade com a pancada no tornozelo esquerdo de Emerson, mas o lateral foi relacionado e deve atuar. A tendência é que o time encare a Chapecoense com: Victor; Emerson, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; José Welison, Elias e Matheus Galdezani; Luan, Chará e Denilson.

O próprio Emerson falou sobre o confronto de sábado e exaltou a motivação atleticana para a partida. "A gente quer buscar essa sequência de vitórias. Conseguimos uma vitória importante no último final de semana e, agora, é ir focado para Chapecó, fazer uma excelente partida e sair de lá com o resultado positivo", comentou.

O Atlético-MG ocupa a sexta colocação do Brasileirão com 45 pontos, a oito do líder Palmeiras. Apesar da distância, os jogadores da equipe têm insistido no discurso da busca pelo título e uma vitória sobre a Chapecoense é fundamental para isso, mas Emerson previu bastante dificuldade para este sábado.

"Normalmente, eles jogam com uma proposta bem defensiva contra a gente, bem fechados, esperando uma bola. Nos últimos jogos, isso foi bem evidente, o Atlético mandou no jogo inteiro, eles só se defenderam e conseguiram o resultado. A gente sabe da qualidade deles, de ter uma boa marcação, mas vamos com força máxima para furar esse bloqueio", apontou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.